Operação investiga milicianos pela morte de Marielle Franco

People take part in a rally against the murder of Brazilian councilwoman Marielle Franco, in Sao Paulo

Da redação – Segundo informações da imprensa golpista, a Polícia Civil do Rio de Janeiro está cumprindo nesta quinta-feira (13) mandados de prisão e de busca relacionados aos assassinatos da vereadora Marielle Franco (PSOL) e de seu motorista, Anderson Gomes. Os alvos dos mandados de busca e apreensão são 15 endereços na zona oeste carioca, Nova Iguaçu, Angra dos Reis, Petrópolis e Juiz de Fora (MG).

A única fundamentação que a justiça e a polícia trazem para o caso é uma testemunha que diz ter integrado uma milícia na Zona Oeste do Rio onde foi aliado do ex-PM e miliciano Orlando Curicica. O mesmo contou à polícia que o vereador Marcello Siciliano (PHS) e o ex-PM são os mandantes, confirmando ter testemunhado uma conversa entre Siciliano e o miliciano na qual os dois arquitetaram a morte da vereadora, muito conveniente para os golpistas que organizaram o assassinato para calar Marielle. A motivação para o crime, é de fato, a única coisa real na história: a disputa por áreas de interesse na região de domínio de Orlando onde a vereadora sempre trabalhou para as comunidades.

“Ela peitava o miliciano e o vereador. Os dois [o miliciano e Marielle] chegaram a travar uma briga por meio de associações de moradores da Cidade de Deus e da Vila Sapê. Ela tinha bastante personalidade. Peitava mesmo”, disse a testemunha, segundo o jornal O Globo.

Como denunciamos neste diário não foram apenas “criminosos” que mataram a vereadora, que lutava contra a Intervenção Militar golpista no Rio de Janeiro, pois há todo um esquema de roubo de munição da Policia Federal – utilizada também em São Paulo em outro assassinato -, bem como de arma utilizada pelo BOPE, e, como está sinalizado, a polícia está envolvida. Se a situação que se desdobra demonstra que policias, ex-policias, estão envolvidos, qual a probabilidade de os golpistas do Exército estarem controlando toda essa sujeira?

É preciso denunciar que foram os golpistas que mataram Marielle Franco e Anderson, de uma forma ou de outra. Isso por que toda a situação de caos no Rio e apoio às milícias e às forças de repressão é causada por eles. São inimigos da população, são milicianos, traficantes – como vimos no caso do bombeiro traficante de armas que estava dentro do próprio GSI, dentro do gabinete da Presidência da República -, são uma verdadeira quadrilha que, além de pilhar o Brasil, entregar todas as riquezas, ameaçam uma ditadura militar aberta que vai colocar como regra o assassinato físico da esquerda.

É isto que está em jogo no caso Marielle, e não apenas um assassinato por “lutas territoriais”. Sempre esteve claro que a vereadora foi morta pelo Estado golpista, pois denunciava o “batalhão da morte” do Rio, era a ouvidora contra a Intervenção do Rio, para acompanhar as atrocidades e com um forte trabalho em diversas periferias.