Operação abutres: ocupação do triplex foi uma encenação eleitoral

Boulos e psol

Na segunda -feira (16-04), militantes do MTST (Movimento de Trabalhadores Sem Teto) ocuparam pela manhã o triplex do Guarujá, que a direita golpista no Brasil, insiste em dizer que é de Lula, e através dele fraudaram um processo criminal para colocar o ex-presidente na cadeia.

Ação realizada pelo MTST empolgou toda militância de esquerda, que logo pela manhã recebeu vídeos do Coordenador do MTST, Guilherme Boulos, pré-candidato à presidência da República pelo PSOL (Partido do Socialismo e Liberdade), dizendo que a ação realizada tinha como objetivo expor a contradição da acusação contra Lula.

Segundo Guilherme Boulos, se o triplex é de Lula, o ex-presidente é que teria que apresentar o pedido de reintegração de posse, caso outra pessoa ou empresa apresentasse o pedido de reintegração, ficaria comprovado que o triplex não é de Lula e aí o “Mussolini de Maringá”, o juiz, agente da Cia, Sérgio Moro, teria que libertar Lula, já que sua acusação de que Lula se corrompeu por um triplex estaria sem nenhum sentido.

No entanto, apesar da propaganda de Boulos, de que os militantes do MTST só sairiam do triplex após o pedido de reintegração de posse, bastou que a polícia chegasse ao local, sem nenhum mandato ou ordem de reintegração, dizendo que iria prender todos, para que o movimento do MTST, que sabe perfeitamente que uma ocupação só desocupa o lugar a partir de uma reintegração de posse, saísse.

Uma ação importante, mas tendo como principal objetivo a propaganda eleitoral do PSOL

A ação realizada pelo MTST, que tem muita gente “Lulista”em sua base, foi importante para denunciar vários aspectos fraudulentos da prisão de Lula, como por exemplo a ideia de que o triplex é um luxuoso imóvel no litoral paulista, quando as imagens realizadas no interior do imóvel pelos ocupantes do triplex, mostraram que o lugar não passa de um kitnet de três andares.

Lula já havia dito que o imóvel era uma espécie de minha casa, minha vida com três andares.

Também ficou comprovado que as denúncias de que havia uma reforma de milhões de reais no local não passa de mais mentiras inventadas contra Lula, e que o local sequer comporta a instalação de um elevador.

No entanto, apesar dessa ocupação ter trazido a público essa questão, ficou claro para quem participa de movimentos de ocupação de terras e prédios, de que a ação é simplesmente propagandística, e não para defender Lula, mas para fazer propaganda de setores do PSOL que foram ao longo de todos os dois anos de golpe no país, contra o PT.

É fácil ver que a ocupação procurou não levar a bandeira contra o golpe, que mesmo Lula já ter dito que o movimento sem teto deveria ocupar o apartamento, o MTST não articulou a ocupação com outros movimentos que lutam para tirar Lula da cadeia, como a FBP (Frente Brasil Popular), o MST (Movimento dos Sem Terras), a CUT (Central Única dos Trabalhadores), o próprio PT e partidos que estão desde 2013 denunciando a prisão de Lula, como o PCO.

Fizeram uma ação, para esticar bandeiras no triplex de organizações do PSol, como o “Povo sem Medo”, “Rua” em uma típica propaganda eleitoral, quando uma ação organizada com os setores da esquerda que lutam contra o golpe teria uma visibilidade maior e com muito mais segurança para os militantes que ocuparam o local.

Mas, não é difícil de entender por que Boulos não convidou o movimento contra o golpe para ocupar o triplex, Boulos é candidato à presidência da República pelo PSOL, concorrente de Lula e do PT e desde o início do golpe, esse partido atuou para enfraquecer a ideia de que o Brasil estava sob a mira da política imperialista de impor um golpe de estado.