ONU ignora o golpe da direita em relatório contra Ortega, denuncia governo da Nicarágua

FSLN-SANDINISTAS-BANDERAS

Da redação – Atualmente o efeito da propaganda imperialista feita por meio da ONU tem um impacto menor. Os coxinhas, para quem essa propaganda é dirigida, não se conformam com a decisão da ONU sobre a candidatura de Lula. No entanto, a organização continua sua tarefa de criar pretextos contra governos que os EUA tentam derrubar. Dessa vez o alvo é a Nicarágua. O governo de Daniel Ortega é denunciado por supostas violações aos direitos humanos.

Segundo a ONU, “a grave crise de direitos humanos na Nicarágua desde o início dos protestos sociais em 18 de abril de 2018 foi caracterizado por múltiplas formas de repressão e outras formas de violência que resultaram em milhares de vítimas, com aproximadamente 300 pessoas mortas e 2 mil feridas”. Os números apresentados pela ONU não deixam claro de que lado estavam mortos e feridos, e seu número é uma estimativa.

O governo da Nicarágua respondeu ao relatório apontando que a ONU elaborou o documento “ignorando o fato de que o que aconteceu na Nicarágua foi uma tentativa de golpe”.

Os protestos da direita contra o governo são os típicos coxinhatos que se viram em outros países da região durante a recente ofensiva imperialista. Repletos de bandeiras nacionais e sem a presença de organizações de trabalhadores. Ao mesmo tempo, há grandes protestos em apoio ao governo, que a imprensa burguesa no mundo inteiro esconde. De acordo com a campanha fabricada contra o governo da Nicarágua, Ortega deveria não resistir e simplesmente deixar a direita dar o golpe, como fez no Brasil e em outros países latino-americanos, com consequências desastrosas para os trabalhadores.