Genocídio da população
Segundo estudo feito pelo Banco Mundial, mais de 5 milhões de brasileiros poderão descer à extrema pobreza até o fim deste ano.
RIO DE JANEIRO, BRAZIL - JULY 24:  Alessandra (L) washes kitchen items with a small hose amidst the rubble of destroyed homes in the Metro-Mangueira community, or 'favela', located approximately 750 meters from Maracana stadium, on July 24, 2015 in Rio de Janeiro, Brazil. Maracana will be the site of the opening ceremonies of the Rio 2016 Olympic Games and was the site of the 2014 World Cup final. The homes were thought to have been knocked down for a parking lot for the stadium, though that has not been built. At its peak the 'favela' housed around 700 families. Evictions and demolitions continue in the area and have occurred in numerous other Rio communities with tangential links to the global sporting events. August 5 marks the one-year mark to the start of the Rio 2016 Olympic Games.  (Photo by Mario Tama/Getty Images)
Comunidade da Mangueira no Rio de Janeiro, em 2016 (Mario Tama/Getty Images) |

Da redação – O economista Daniel Balaban declarou, em entrevista ao Estado de São Paulo, que o Brasil está voltando ao mapa da fome. Segundo ele, a causa seria o coronavírus e a crise econômica gerada pela pandemia. É claro, porém, que a causa verdadeira é o descaso do governo na prevenção da doença e nas medidas que poderiam fazer com que a crise não atingisse a população.

Segundo estudo feito pelo Banco Mundial, a estimativa é de que cerca de 5,4 milhões de pessoas ainda irão descer à extrema pobreza no país. O número de pessoas hoje em situação de extrema pobreza no Brasil é de 9,3 milhões, com dados de 2018, de modo que o total pode chegar a quase 14,7 milhões de pessoas até o fim de 2020. No mundo, esse número pode chegar a 130 milhões. Além disso, prevê-se que haverá o dobro de pessoas sofrendo de fome crônica.

 

 

Relacionadas