Bloqueio criminoso
Relatora especial da ONU conclui visita ao país recomendando a suspenção imediata de todas as medidas contra o país.
Supporters of Venezuela's President Nicolas Maduro attend to the last campaign rally with pro-government candidates for the upcoming parliamentary elections, in Caracas December 3, 2015. Venezuela will hold parliamentary elections on December 6. REUTERS/Carlos Garcia Rawlins
Relatora da ONU confirma impacto devastador do bloqueio sobre as necessidades básicas da população. | Foto por: reprodução.
Supporters of Venezuela's President Nicolas Maduro attend to the last campaign rally with pro-government candidates for the upcoming parliamentary elections, in Caracas December 3, 2015. Venezuela will hold parliamentary elections on December 6. REUTERS/Carlos Garcia Rawlins
Relatora da ONU confirma impacto devastador do bloqueio sobre as necessidades básicas da população. | Foto por: reprodução.

A relatora especial da Organização das Nações Unidas (ONU), Alena Douhan, encerrou no sábado (13) o relatório feito a partir de uma visita de doze dias ao país para verificar os impactos sobre a população das medidas coercitivas unilaterais dos Estados Unidos.

Douhan afirmou que a série de medidas que constituem o bloqueio econômico têm efeitos devastadores na alimentação, saúde e educação na Venezuela, afirmando “a qualidade de vida dos venezuelanos diminuiu em função das sanções coercitivas unilaterais”.

A encarregada da ONU viajou por diversas regiões do país e realizou mais de 50 reuniões com populares e autoridades, incluindo o presidente Nicolas Maduro, pelo que concluiu o relatório recomendando que todos os países que possuem algum tipo de sanção contra a Venezuela, suspendam-nas imediatamente, para permitir à população o acesso a alimentação, medicamentos e vacinas.

Atualmente diversos países no mundo seguiram as “ordens” do imperialismo norte-americano que em 2015 intensificou o bloqueio contra o país, como Portugual, Reino Unido, Espanha, França, Canadá e Brasil.

Desde o bloqueio econômico a Venezuela reduziu em 60% sua produção de petróleo e causou uma verdadeira catástrofe na economia do país que depende importações para suprir 70% do seu consumo de alimentos e demais bens de consumo.

Acesse aqui o relatório completo.

Relacionadas
Send this to a friend