Aqui não se fala mal do futebol brasileiro

Anterior
Próximo

Decadência capitalista

Olimpíadas de Tóquio sob ameaça da Covid

Nem mesmo as Olimpíadas de Tóquio escapam à profunda crise sanitária e econômica que toma conta do mundo

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram

Mesmo em 2021, capitalismo não consegue animar ninguém com realização dos jogos olímpicos – melhores destinos

Há três meses da data prevista para o início dos Jogos Olímpicos de Tóquio, no Japão, adiados há um ano por conta da pandemia mundial do Covid 19, o governo japonês se depara com a necessidade de decretar estado de emergência em Tóquio e em três outras regiões do país (Osaka, Kyoto e Hyogo) para conter a disseminação do coronavírus.

Apesar de não figurar entre os países líderes de contaminação e mortes, o Japão conta com cerca de 10.000 mortes, apesar de nunca ter imposto bloqueios rígidos como em outros lugares. Mas a partir de março, após o inverno japonês os casos voltaram a aumentar quando após a realização de um segundo estado de emergência em algumas regiões do país este foi suspenso em março.

A capital Tóquio registrou 861 novos casos no último dia 22 de abril, situação que não ocorria desde janeiro, enquanto Osaka registrou 1.167 casos, um pouco menos do que o recorde registrado no dia anterior. O governo local de Osaka anunciou que a capacidade sanitária está no máximo.

Até o momento 1,5 milhão de pessoas receberam a 1ª dose e outras 827 mil a 2ª dose, um ritmo muito lento de vacinação para o país que se imbuiu de realizar a maior competição esportiva do mundo. Por enquanto, apenas a vacina da Pfizer foi aprovada e as da Moderna e AstraZeneca não devem receber luz verde antes de maio.

De acordo com o governo do Japão, serão anunciadas medidas mais duras do que as executadas durante o último estado de emergência em janeiro. As medidas serão realizadas no período entre 25 de abril e 11 de maio que coincidirá com os feriados da ‘Golden Week’ – período em que se realiza a maior parte das viagens no país asiático. Entre elas estão: fechamento de estabelecimentos que vendam álcool, além de centros comerciais e lojas de departamento

A crise japonesa com o aumento do número de infecções no país levou o ministro japonês Yasutoshi Nishimura a se colocar e dizer: “Temos uma forte sensação de crise”, completando,
“A menos que adotemos medidas mais fortes do que as adotadas até agora, não conteremos as variantes que têm enorme poder infeccioso”.

A necessidade de novo endurecimento nas medidas sanitárias se chocam diretamente com os interesses econômicos capitalistas, em meio a maior competição esportiva do mundo, as Olimpíadas. Está sendo considerada a proibição de público nos eventos esportivos, mas as autoridades insistem que as medidas não terão impacto nos Jogos Olímpicos.

Para defender os interesses econômicos presentes na competição, o governo japonês se vê frente a outro dilema que a população japonesa já critica abertamente. O governo do Japão já questiona a necessidade de imunizar sua delegação olímpica, colocando atletas olímpicos e os paralímpicos à frente na fila de vacinação contra a Covid-19. Com a proposta de que as delegações recebessem duas doses da vacina até o final de junho. Isso daria tempo para que houvesse recuperação de algum possível efeito colateral antes da abertura dos Jogos, prevista para 23 de julho. Enquanto a população japonesa que só teve sua imunização iniciada em março, não deve terminar de vacinar a população acima de 65 anos antes do final de maio.

A imunização de atletas olímpicos está sendo realizadas por vários países que irão competir nos Jogos de Tóquio-2020/21 ou pretendem fazer isso. Entre eles, os Estados Unidos, Israel, França, México e Lituânia.

O COI (Comitê Olímpico Internacional), chegou a anunciar através de seu presidente, o alemão Thomas Bach, entregar uma oferta de vacinas da China para todas as delegações que irão competir em Tóquio. Contudo, não voltou a tocar no assunto, num momento em que o imperialismo procura de todas as formas atacar tanto a China, como a Rússia.

Frente a tais interesses capitalistas, mas agora do lado de cá, o COB (Comitê Olímpico Brasileiro) foi procurado no último dia 23, pelo Ministério da Defesa para tratar da vacinação contra a covid-19 de atletas olímpicos e paralímpicos que participarão dos Jogos de Tóquio.

A previsão é de que as 2.000 pessoas que integram a comissão brasileira, entre atletas, comissões técnicas e colaboradores do COB serão imunizados. Em nota enviada à imprensa, o Comitê confirmou que está em tratativa com o Ministério da Defesa e o Comitê Olímpico Internacional sobre o assunto, mas que seguirá o Plano Nacional de Imunização. Há cerca de um mês as Forças Armadas anunciaram que os atletas do olímpicos do Exército brasileiro já estavam sendo imunizados.

O exemplo dos Jogos de Tóquio 2020/21 demonstra que o capitalismo, sequer onde tem seus objetivos mais prementes consegue resolver seus problemas. Depois de mais de um ano de pandemia, o imperialismo mundial e o imperialismo japonês não conseguiram conter a proliferação da doença no país sede dos jogos, inclusive ameaçando este que é uma das mais tradicionais festas do esporte.

Desde as primeiras Olimpíadas da era moderna, em Atenas 1896, as mesmas só não ocorreram durante as guerras mundiais (1916, 1940 e 1944), o que mostra quão profunda e decadente é a atual crise do sistema capitalista, que sequer consegue realizar sem maiores problemas, um evento, que os grandes capitalistas, veem como mais uma esperança de ampliação de seus capitais.

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram

A você que chegou até aqui,

agradecemos muito por depositar sua confiança no nosso jornalismo e aproveitamos para fazer um pequeno pedido.

O Diário Causa Operária atravessa um momento decisivo para o seu futuro. Vivemos tempos interessantes. Tempos de crise do capitalismo, de acirramento da luta de classes, de polarização política e social. Tempos de pandemia e de política genocida. Tempos de golpe de Estado e de rebelião popular. Tempos em que o fascismo levanta a cabeça e a esquerda revolucionária se desenvolve a olhos vistos. Não é exagero dizer que estamos na antessala de uma luta aberta entre a revolução e a contrarrevolução. 

A burguesia já pressentiu o perigo. As revoltas populares no Equador, na Bolívia e na Colômbia mostraram para onde o continente caminha. Além da repressão pura e simples, uma das armas fundamentais dos grandes capitalistas na luta contra os operários e o povo é a desinformação, a confusão, a falsificação e manipulação dos fatos, quando não a mentira nua e crua. Neste exato momento mesmo, a burguesia se esforça para confundir o panorama diante do início das mobilizações de rua contra Bolsonaro e todos os golpistas. Seus esforços se dirigem a apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe, substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular. O Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra a burguesia, sua política e suas manobras. 

Diferentemente de outros portais, mesmo os progressistas, você não verá anúncios pagos aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos de maneira intransigente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Trabalhamos dia e noite para que o DCO cresça, se desenvolva e seja lido pelas amplas massas da população. A independência em relação à burguesia é condição para o sucesso desta empreitada. Mas o apoio financeiro daqueles que entendem a necessidade de uma imprensa vermelha, revolucionária e operária, também o é.  

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com valores a partir R$ 20,00. Obrigado.

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Quero saber mais antes de contribuir

 

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Quero saber mais antes de contribuir

 

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.