Siga o DCO nas redes sociais

Omissão dos golpistas
Óleo chega às praias do Rio de Janeiro
Governo Bolsonaro permitiu que a poluição se alastrasse, prova do completo desprezo pela população
Foto Divulgação - AOC
Omissão dos golpistas
Óleo chega às praias do Rio de Janeiro
Governo Bolsonaro permitiu que a poluição se alastrasse, prova do completo desprezo pela população
Divulgação: AOC
Foto Divulgação - AOC
Divulgação: AOC

Após poluir o litoral de todos os estados do Nordeste e o Espírito Santo, as manchas de óleo, que desde agosto se espalham livremente pela costa brasileira, atingiram o Rio de Janeiro. Sem qualquer ação minimamente séria do regime golpista de Bolsonaro no sentido de impedir que a poluição se alastre, o caso das manchas de óleo é ilustrativo do completo desprezo do capitão dos fascistas por qualquer interesse que não seja compartilhado pelas burguesias das nações imperialistas.

O descaso do governo se transformou num drama imenso às populações afetadas, sobretudo as famílias de pescadores que foram duramente atingidas e acabaram se expondo aos riscos trazidos pela exposição ao óleo, numa tentativa desesperada de ao menos minimizar os danos e poderem voltar ao trabalho diante da total passividade. Essa mesma inação se transformou agora numa ameaça direta a mais de 8 mil trabalhadores que vivem da pesca artesanal e já enfrentam muitas dificuldades para trabalhar, incluindo aí o terrorismo das milícias fascistas que atuam abertamente no segundo estado mais rico da república.

É de se destacar também o papel da esquerda pequeno burguesa, que usa o caso para fazer sua tradicional discurseira, cheia de sentimentalismo burguês, mas vazia de conteúdo político concreto. Mais ágil nesse sentido, a direita tradicional, liderada por Rodrigo Maia, já usou o caso para emplacar uma CPI na Câmara dos Deputados. Obviamente, ninguém em sã consciência vai acreditar que Maia tem qualquer apreço pelos trabalhadores afetados pelo óleo vazado ou pela preservação ecológica do litoral brasileiro, mas é uma evidente tentativa de colecionar mais um trunfo para o caso de a burguesia decidir tirar Bolsonaro.

Nesse sentido, é preciso que as mobilizações populares quebrem a letargia da esquerda conservadora e intensifiquem a campanha pelo fora Bolsonaro, dado que sem uma decisiva mudança dos rumos da condução política no país, a tendência é o governo continuar ignorando a população trabalhadora que vive da pesca, do turismo e demais atividades diretamente afetadas pelo descaso diante da poluição marítima.

O vazamento ameaça se espalhar por todo o litoral brasileiro, com consequências graves e de longa duração. Não apenas para os trabalhadores atingidos e populações caiçaras, mas para o conjunto do proletariado brasileiro, que vive entre o desprezo e a ameaça de um regime que se organiza para impor o inferno fascista aos trabalhadores.