Olavetes no canil: Ernesto Araújo, o chanceler lunático, ficou de fora da festa nos EUA

ernesto

Da redação – Ontem (19) o golpista Jair Bolsonaro realizou um sonho: visitou o presidente dos EUA, Donald Trump. Para o Brasil, o encontro representa uma política que atenta contra a soberania nacional. Para os golpistas, no entanto, foi uma festa. Paulo Guedes, o ministro da Economia, anunciou orgulhosamente que gosta de Coca Cola e da Disney.

Durante a “festa”, que selou a política entreguista da extrema-direita, Jair Bolsonaro reuniu-se com Donald Trump no Salão Oval da Casa Branca. Também participou do evento seu filho, Eduardo Bolsonaro, deputado que anunciou pelo Twitter na segunda-feira (18) a visita da comitiva à CIA, que não constava na agenda oficial da Presidência.

Já o chanceler Ernesto Araújo, por outro lado, não participou da reunião, ficou de fora. Segundo uma reportagem da Folha de S. Paulo, o chefe da diplomacia brasileira teria reagido à notícia com um “chilique”. Preterido, o ministro olavete não conseguiu realizar seu sonho de ver de perto aquele que ele considera uma espécie de messias do mundo moderno, o salvador do “Ocidente”.

Ao que parece, o verdadeiro chanceler do Brasil sob o governo Bolsonaro é o deputado Eduardo. Mais uma expressão de um governo improvisado, que mescla as figuras ridículas do baixo clero parlamentar aos aberrantes quadros “olavetes”, além dos sinistros generais.