Composição de Neil Young
A canção do Crosby Stills Nash & Young foi inspirada pelo massacre da universidade de Kent, onde foram mortos quatro estudantes em manifestação contra a Guerra do Vietnã
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
kent state massacre 1 - foto john filo - associated press
O corpo do estudante Jeffrey Miller. Foto: John Paul Filo/Associated Press |

No dia 21 de maio de 1970 foi lançado um compacto com uma das mais contundentes canções de protesto e anti-guerra dos anos 70. “Ohio” é uma canção do Crosby, Stills, Nash & Young, composta por Neil Young como uma reação ao massacre na Universidade do estado de Kent, nos Estados Unidos.

Até então Neil Young não era um compositor especialmente político, mas a gravidade dos eventos mostrou que não era possível ficar neutro em relação à Guerra do Vietnã, conduzido pelo governo imperialista dos Estados Unidos.

Origens da canção

No dia 4 de maio de 1970 um grupo de aproximadamente 300 estudantes universitários faziam um protesto contra o crescente envolvimento dos Estados Unidos na Guerra do Vietnã, que começavam agora a mandar tropas para um outro país, o vizinho e até então neutro Camboja. A campanha no Camboja havia sido anunciada no dia 30 de abril pelo então presidente Richard Nixon.

O campus da universidade foi invadido pelas tropas da Guarda Nacional, que primeiro tentaram dispersar a multidão jogando gás lacrimogêneo. A multidão respondeu jogando pedras contra os soldados e a Guarda Nacional reagiu atirando contra os jovens. Algumas dessas pessoas nem participavam das manifestações, estavam simplesmente indo para suas aulas. No total os soldados dispararam 67 tiros de rifle M-1. No curto espaço de 13 segundos mataram quatro jovens, Jeff Miller, Allison Krause, Bill Schroeder e Sandra Scheuer, alem de mais nove feridos, sendo que um deles ficou permanentemente paralisado.

11 dias depois outra ação da Guarda Nacional

No dia 15 de maio no Jackson State College em Mississippi as tropas da Guarda Nacional e a polícia local foram convocadas para reprimir uma manifestação de cerca de 100 estudantes negros na Lynch Street, um local em que frequentemente havia confrontos entre moradores brancos e negros. Os manifestantes acenderam fogueiras, jogaram pedras contra motoristas e viraram um caminhão. Com a ação da polícia para dispersar a multidão os manifestantes se reuniram em frente ao Alexander Hall, um dormitório feminino.

Os policiais abriram fogo e deram mais de 150 tiros contra o dormitório, alegando terem visto um sniper em um dos andares superiores e que estavam sendo atacados. A busca feita pelo FBI nunca comprovou essa alegação. O fogo durou 30 segundos, com mais de 460 tiros. Todas as janelas frontais do prédio foram atingidas. Dois estudantes, Phillip Lafayette Gibbs e James Earl Green, foram mortos e doze outros feridos. Décadas após o ocorrido foi encontrada uma gravação feita por um estudante que revelou que os soldados não dispararam como reação às pedras da multidão. Eles receberam ordens para disparar, algo que foi encoberto pelas autoridades da época.

Tres dias após o massacre teve início uma greve geral dos estudantes em todo o país, com a adesão de mais de quatro milhões de pessoas, a maior greve da história. Foi seguido por uma marcha a Washington no dia 10 de maio onde participaram mais de 100 mil pessoas.

Esta série de eventos suscitou inúmeros debates, estimulando o movimento contra a guerra, que na época vinha em declínio. A declaração de Nixon de que iria mandar tropas para o Camboja entrou em contradição com sua declaração anterior (e mentirosa) de que os Estados Unidos aos poucos se retiraria do Vietnã.

Massacre de 1968 em Orangeburg

Este evento na Universidade de Kent não foi um caso isolado. Dois anos antes a polícia e as tropas militares já haviam atuado na cidade universitária de Orangeburg, localizada no estado da Carolina do Sul.

No dia 8 de fevereiro de 1968 soldados abriram fogo contra uma multidão de ativistas afro americanos, matando tres estudantes, Samuel Hammond, Henry Smith e Delano Middleton e ferindo outros 28.

O incidente teve origem na noite de 5 de fevereiro na pista de boliche chamado All-Star Bowling Lane, um dos poucos locais que ainda praticavam a segregação racial na cidade. O proprietário se recusou a reconhecer as exigências da comunidade negra para dessegregar o local e como consequência os estudantes negros se reuniram para protestar. A polícia foi chamada, mas ninguém veio. No dia seguinte os estudantes voltaram ao local e encontraram a polícia bloqueando a entrada da pista de boliche. Quinze estudantes foram presos por se recusarem a sair. Os eventos causaram uma confusão, formando uma multidão em protesto.

A terceira noite de protestos foi no dia 8 no campus da South Caroline onde o governador Robert McNair já havia chamado a Guarda Nacional, alem de tropas estaduais e policiais. O campus foi fechado.

Após acenderem uma fogueira para impedir a aproximação das tropas alguém jogou um objeto nos policiais, ferindo um oficial. Em resposta as tropas começaram a atirar contra a multidão. No final cerca de 30 estudantes foram atingidos com tiros de fuzis, quase todos pelas costas, com três mortos.

A canção “Ohio”

Neil Young compôs “Ohio” logo após ver fotos do massacre em uma reportagem da revista Life. Ele escreveu a canção em pouco tempo e em menos de 24 horas o Crosby, Stills, Nash & Young estava em estúdio para fazer a gravação da música. Gravada no dia 15 e lançada em tempo recorde no dia 21, a música de Neil Young capturou perfeitamente a angústia, a raiva e a revolta de toda uma geração. Serviu para mostrar que o governo norte americano não estava apenas fazendo uma guerra imperialista de saque no Vietnã, mas também combatendo a contracultura em seu próprio país.

A cantora Chrissie Hynde, mais tarde líder do grupo inglês Pretenders, era estudante em Kent na época. Ela disse que um dos mortos, Jeff Miller, era um grande fã de Neil Young. A música, não surpreendentemente, foi banida de várias rádios AM, mas foi muito executada nas rádios FM das grandes cidades e universidades.

“Tin soldiers and Nixon’s comin’
We’re finally on our own
This summer I hear the drummin’
Four dead in Ohio

Gotta get down to it
Soldiers are gunning us down
Should have been done long ago
What if you knew her and
Found her dead on the ground?
How can you run when you know?”

ou em tradução livre:

“Soldados de lata e Nixon chegando
Estamos, finalmente, por nossa conta
No verão ouvimos os tambores
Quatro mortos em Ohio

Tenho que ir direto ao ponto
Os soldados estão atirando contra nós
Isso deveria ter sido feito há muito tempo atrás
E se você a conhecesse
E a encontrasse morto no chão
Como você vai correr se a conhece?

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas