Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
1537062460
|

Da redação – A missão de acompanhamento eleitoral da Organização dos Estados Americanos (OEA) voltou ao Brasil para legitimar a fraude no 2º turno das eleições mais farsescas da história do País.

O órgão confirmou ontem (21) sua participação na segunda volta dos comícios, que ocorrerá no próximo domingo (28).

No 1º turno a OEA acompanhou o processo pela primeira vez na história do Brasil, convidada pelo governo golpista, com o claro objetivo de validar a fraude nestas eleições, legitimando assim o golpe de Estado e seu aprofundamento.

Naquela ocasião, a instituição afirmou que as eleições foram limpas e que não é possível questionar a urna eletrônica. Nada foi dito da prisão e impedimento do ex-presidente Lula, principal candidato do povo à presidência. Nada foi dito das inúmeras ocorrências de manipulação das urnas eletrônicas por todo o País. Nada foi dito da impossibilidade de 3,5 milhões de brasileiros votarem, entre muitas outras irregularidades já listadas por este diário.

É preciso lembrar que a OEA é um órgão criado pelo imperialismo norte-americano para que este controle política e diplomaticamente os países da América Latina. A mando dos EUA, Cuba foi expulsa da organização logo após a Revolução de 1959, por, supostamente, violar os princípios democráticos da Carta.

Antes disso, a OEA havia apoiado o golpe de Estado na Guatemala, em 1954, que derrubou o presidente nacionalista Jacobo Arbenz, e depois apoiou todas as ditaduras do continente. Mais recentemente, a OEA é um dos mecanismos mais utilizados pelo imperialismo para pressionar e, possivelmente, intervir militarmente na Venezuela, justamente com a desculpa de que as eleições naquele país seriam farsescas.

Percebe-se a quem a OEA serve, e sua hipocrisia. Trata-se, em última instância, de uma evidente intervenção imperialista no processo eleitoral brasileiro. Ou seja, a presença da OEA para validar a fraude das eleições em meio a um golpe de Estado, em si só já é um novo episódio de fraude.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas