VAR, a destruição do futebol
Torcedores, atletas, técnicos e até mesmo comentaristas da imprensa venal, tem criticado as paralisações e manipulações do VAR contra o futebol nacional e internacional
var
Protesto da torcida contra o VAR, Video Assistant Referee. | Foto: Reprodução
var
Protesto da torcida contra o VAR, Video Assistant Referee. | Foto: Reprodução

Todos os jogos e campeonatos em que tem o VAR (Video Assistant Referee), as reclamações dos torcedores por conta das paralizações das partidas para consultar o árbitro de vídeo, diante dos lances, nas redes sociais são enormes, pode ser o torcedor de qualquer time. De acordo com o Globo Esporte, em 2020 foram registradas na Série A do Brasileirão, 462 intervenções do VAR durante as partidas, contra 345 no ano anterior, ou seja um aumento de 40%. Ao longo das 182 partidas disputadas 163 tiveram paralisação, o que representa 89,5 do total.

O problema desse tipo de tecnologia no futebol, não só o brasileiro, como em todo mundo, não é apenas a demora ou a paralisação. Ao paralisar a partida para que o torcedor possa comemorar ou sentir o impacto do gol, o que dura em média 3 minutos, acaba com a emoção daquele que é o esporte mais praticado e assistido no mundo inteiro. E não é só isso, as denuncia de que o VAR pode prejudicar, manipular e até alterar o resultados dos jogos são muitas e algumas bem contundentes.

Depois de muito apoio para sua implementação no Brasil por parte da imprensa golpista e imperialista, e até mesmo de dezenas de comentaristas, jornalistas e analistas futebolísticos, as reações vem se modificando. Apesar de o discurso da imprensa burguesa ir no sentido, de que no Brasil a tecnologia não está funcionando, porque segundo eles, os árbitros brasileiros não estão preparados, não está colando. O que também não passa de mais um meio dessa imprensa venal, de tentar a qualquer custo diminuir o melhor futebol do mundo que é o brasileiro.

Mesmo com uma grande falácia da imprensa brasileira em relação ao VAR e o futebol nacional, a realidade é bem outra, não é só no Brasil que as críticas ao VAR vem crescendo, em todos os outros campeonatos do mundo onde o árbitro de vídeo atua, a situação é mesma. As reclamações não se resume aos torcedores e comentaristas, os atletas e os técnicos também vem mostrando toda sua frustação diante das decisões e paralisações do VAR.

Dois atletas do time inglês Liverpool, após empate com Brighton, em uma rodada da Premier League, há duas semanas atrás, sábado (28), não pouparam criticas ao VAR. Depois de um lance aos 93 minutos da partida, onde o Liverpool ganhava por 1 a 0. O capitão do time, James Milner usou as redes sociais para desabafar, “É ‘claro e óbvio’ que precisamos de uma discussão séria sobre o VAR. Certamente não estou sozinho em sentir que estão perdendo o amor pelo jogo em seu estado atual”.

No mesmo sentido, o protagonista do lance que rendeu o pênalti para o Brighton nos últimos momentos da partida, o lateral Andrew Robertson também se queixou através das redes sociais em relação as paralisações do VAR. Em uma entrevista coletiva, Robertson fez a seguinte afirmação “Millie [Milner] expressou o que os jogadores e muitos fãs de futebol estão sentindo. Muitas pessoas com quem converso não gostam mais de assistir futebol quanto antes”.

No Brasileirão, dá pra destacar alguns erros absurdos desta tecnologia que alterou drasticamente o resultados das partidas. No jogo entre Botafogo e Internacional, Gatito Fernandez, perdeu a cabeça após um gol anulado pelo VAR, o árbitro que operava a tecnologia viu falta na origem da jogada e interferiu na interpretação do juiz de campo, que tinha visto o lance como normal. Vale lembrar que o VAR não deve interferir em jogadas interpretativas.

Em uma outra partida, novamente em um lance interpretativo, o árbitro de vídeo chama o árbitro do jogo para anular um gol do Fluminense sobre o Santos, em que o zagueiro Luccas Claro ganhou a rede, de cabeça, em lance de bola parada. O árbitro tecnológico entendeu que a jogada foi faltosa. Teve também os lances dos jogos São Paulo e Atlético Mineiro, Flamengo e Santos em que a anulação dos gols durante a partida pelo VAR são muito duvidosos.

Como disse o jornalista e comentarista futebolístico Arnaldo Ribeiro que se coloca como um dos maiores inimigos do árbitro de vídeo, em entrevista para o El País, ele afirma “O VAR veio para arruinar o esporte mais precioso de todos os tempos”. Todas essas situações em que atuam o VAR, seja para destruir a emoção do futebol, seja para manipular os resultados está cada dia mais afastando torcedores em todo o planeta. Portanto o VAR deve ser totalmente extinto seja no Brasil como em todo mundo.

Relacionadas
Send this to a friend