Ocupar Curitiba pela Libertação de Lula!

images (6)

Desde o último sábado (07/04), quando, apesar da grande resistência da militância de base do PT (Partido dos Trabalhadores), o ex-presidente decidiu se entregar e foi preso ilegalmente pelos golpistas, militantes se reuniram para recepcionar Lula em frente à Justiça Federal do Paraná (o lar do juiz golpista Sérgio Moro, o Mussolini de Maringá). Rapidamente a manifestação reuniu mais de mil militantes, enquanto os coxinhas, na rua ao lado, não reuniam 80 pessoas. Bastou o helicóptero com o ex-presidente chegar, a PM iniciou sua brutal, criminosa e tradicional repressão, jogando bombas no meio da manifestação em defesa de Lula, onde haviam crianças e idosos.

Não bastasse a repressão ser o modus operandi da PM, o Paraná sob o governo do golpista Beto Richa (PSDB) – agora da vice golpista Cida Borgheti (PP) – em diversos momentos massacrou a população, sobretudo os servidores públicos, idosos, mulheres e jovens no Massacre de 29 de Abril de 2015, em que dezenas de crimes foram cometidos contra o povo paranaense para que o governo pudesse aprovar uma lei que o permitiu saquear a Paraná Previdência, fundo previdenciário que possuía mais de R$ 8,6 bilhões.

Após mais esta repressão e todo o crescimento da luta contra o golpe, desta vez várias das organizações de esquerda mais importantes do país, como a CUT (Central Única dos Trabalhadores) e o MST (Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra), lançaram um chamado a suas bases para Ocuparem Curitiba. Outras organizações, como a FUP (Frente Única dos Petroleiros), mudaram sua agenda de atividades para Curitiba, onde foi montado um acampamento também na noite do último sábado e mais de 40 caravanas foram confirmadas para ocuparem Curitiba.

O PCO (Partido da Causa Operária) desde 2012 alertou sobre o recrudescimento da política da burguesia imperialista, que se refletia e se refletiria no aumento dos golpes de Estado como política principal contra os governos nacionalistas em todo o mundo, sobretudo na América Latina. Assim foi se acentuando em 2009 em Honduras, e de lá para cá, no Paraguai, no Egito, na Ucrânia, entre outros, até o Brasil de 2016 na derrubada ilegal da presidenta Dilma e do aprofundamento dos ataques contra a classe trabalhadora brasileira. Foi assim que desde a condução coercitiva do ex-presidente Lula no final de 2016, o PCO mobilizou-se para impedir que a direita golpista e seu aparato repressor aprofundasse o golpe de Estado pela prisão de Lula e chamou a Ocupação de Curitiba (2 vezes, nos julgamentos de Lula na operação golpista Lava Jato), de Porto Alegre e de São Bernardo do Campo.

Neste momento, organizações como a CUT e o MST fazerem o chamado a ocupar Curitiba é um acerto político e o único caminho para travar uma luta consequente contra mais esta fase do golpe de Estado. A burguesia teve a ousadia a ponto de prender ilegalmente o maior líder popular do país. Portanto, é preciso mais uma vez que todos aqueles que querem lutar contra o golpe tenham em mente: Todos a Curitiba! Ocupar Curitiba pela Libertação de Lula!