Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit

Depois das declarações do interventor Braga Netto de que “o Rio de Janeiro é um laboratório”, o Exército anunciou que os moradores que são feitos de cobaias na Vila Kennedy agora vão ter que aturar a truculência do Exército todo santo dia na região.

De acordo com o Comando Conjunto das operações no Rio, os soldados que foram treinados para aniquilar os inimigos numa eventual guerra, saberão respeitar os direitos e garantias individuais da população. Segundo o Comando, a tropa recebeu instruções de como lidar com situações de distúrbio nas comunidades.  

“Usar arma letal” apenas em último caso, adverte o manual. O que pode parecer óbvio, tem uma explicação muito simples: o Exército não foi feito para fazer policiamento. O Exército foi feito para matar. Para exterminar o inimigo.

Para uso progressivo da força, o manual exige que os soldados devem:

1 – alertar, verbalmente, empregando auto-falantes, se for o caso;

2 – negociar;

3 – realizar demonstrações de força;

4 – empregar formação de controle de distúrbio;

5 – usar armas de baixa letalidade;

6 – disparar com projétil de borracha

7 – utilizar dispositivo elétrico incapacitante; e

8 – usar arma letal.

Não é o tipo de operação que o Exército está acostumado. Certamente o soldado que apanha na cara dos superiores durante a formação nos quartéis não está nem de longe apto para respeitar os direitos do cidadão no dia a dia.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas