O TSE mostrou que é de extrema-direita, fora Bolsonaro e todos os golpistas!

1231312

A esquerda pequeno-burguesa neste momento oscila entre dois pólos, o da esperança eufórica em coisas pífias, e o desespero total. Com a reportagem da Folha de S. Paulo, mostrando o “Caixa 2 de Bolsonaro”, estes setores voltaram à euforia, pensando que denunciar o fato de que Bolsonaro estava gastando dinheiro ilegal em disparos de Whatsapp ia mudar a situação.

A denúncia teve pouco eco na imprensa capitalista, e neste domingo, 21, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE), representado na pessoa da ministra Rosa Weber fez um pronunciamento, onde de maneira dissimulada, indicou que não haverá a dura ação que esperavam por parte da justiça, indicou justamente o inverso, que não haverá praticamente ação nenhuma.

Isso acontece pois essa Justiça, o TSE e o STF estão dominados pela extrema direita, estão dominados pelo Exército e pela burguesia, que neste momento é toda “Bolsonarista”, e é de coração defensora da política da extrema-direita.

O PT e outros setores agora ficam sem ação pois cometeram o mesmo erro que tem cometido até aqui, confiar nas instituições golpistas. Confiaram que estas manteriam Dilma no cargo, e confiaram que Lula não seria preso por elas, mas a verdade é que elas tem um compromisso com o imperialismo norte-americano e a burguesia entreguista, não com o povo.

Estiveram presentes a ministra Rosa Weber e o Subprocurador Geral da República, o Ministro da Segurança Pública Raul Jungmann, e o General e principal figura do golpe militar, Sérgio Westphalen Etchegoyen.

Esta comitiva é um símbolo da atual situação e de um possível governo Bolsonaro. Quando o fascista for acossado por algo, virão o Judiciário, o Exército e as polícias para protegê-lo.

A situação pode parecer sem esperanças, mas não é. Ela tem esperanças, mas é preciso pôr a esperança no lugar correto, nos trabalhadores, na mobilização, numa greve geral, nos sindicatos, lá existem esperanças.

É preciso tomar as ruas e chamá-los ao combate contra Bolsonaro, chamá-los a enfrentar a ditadura que se aproxima, e lembrar que nem as baionetas das Forças Armadas podem vencer o povo organizado.