Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit

A votação no Supremo Tribunal de Justiça jogou um balde de água fria naquelas pessoas que acham que, em algum momento, as instituições irão salvar Lula da prisão. O pedido de habeas corpus preventivo foi negado por cinco a zero.

Aparentemente não fica claro para a maior parte das pessoas, mas tanto a decisão do Tribunal Regional Federal da quarta região que eventualmente venha prender Lula, quanto do STJ, que tirou o corpo fora da decisão, são decisões absolutamente ilegais. O STF se transformou no Congresso Nacional número dois, na realidade, se tornou o primeiro poder legislativo do Brasil.

Já faz bastante tempo que o STF vem tomando decisões, criando leis, criando legislação que é uma coisa absolutamente fora da competência do tribunal.

A competência do STF, que por si só já é bastante questionável, seria de interpretar a Constituição. O que é totalmente errado, pois a interpretação das leis dá ao Judiciário o poder de legislar. Se um juiz pode interpretar, isto é, pode interpretar tanto no sentido A, quanto no sentido B.

O que é necessário é ter uma lei que tenha um sentido claro e a função do juiz é aplicar a lei. A lei diz A, o juiz verifica os fatos e se corresponde à lei e toma uma decisão, não interpretar.

Como no caso Lula, que a lei impede a prisão do cidadão antes de esgotadas todas as possibilidades de recorrer, que são quatro, mas, sob um argumento do bem maior querem passar por cima da lei e prender o petista por apenas ter sido condenado em primeira instância.

Já o STF foi além disso, não ficou na formalidade de interpretar, mas diretamente já se lançou na aventura de criar ele mesmo as leis necessárias. É possível verificar em diversas ocasiões que as decisões do STF passam por cima do Congresso Nacional ou usurpam a sua competência. Isso é uma aberração total que tem feito parte de todo o processo do golpe.

Mostram que a questão da existência de um estado de direito e a vigência de uma Constituição é coisa ultrapassada, que não existe mais. O que existe agora são pessoas, como aqueles reis do passado, que tomam decisões da própria cabeça, não existe lei, eles são a lei.

Isso é um golpe de Estado, rasgaram a Constituição. É o mesmo método que Castelo Branco utilizou com os atos institucionais. Prender Lula é um aprofundamento do golpe, um ato institucional do STF, medida típica de um golpe.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas