Coveiro dos paulistas
O governador “científico” de São Paulo, João Doria, está fechando os pronto-socorros de diversos hospitais estaduais localizados na Capital, diminuindo seu acesso à população
hospital-santa-marcelina-itaim
Hospital do Itaim Paulista, um dos que terá o pronto-socorro será fechado pelo governador João Doria | Foto: Reprodução
hospital-santa-marcelina-itaim
Hospital do Itaim Paulista, um dos que terá o pronto-socorro será fechado pelo governador João Doria | Foto: Reprodução

O governador de São Paulo, João Doria (PSDB) está encaminhando o fechamento dos pronto-socorros de diversos hospitais estaduais existentes na Capital. Três hospitais – o do Itaim Paulista, o de Pedreira e do Grajaú, todos localizados nas periferias da cidade, já realizaram o fechamento dos pronto-socorros das unidades.

Em alguns hospitais, como o da Vila Alpina, há o esquema de transição com triagem. Ele atende uma parte dos casos que ali chegam e outra parte é direcionada para as unidades municipais. No entanto, o fechamento desse pronto-socorro já está agendado para maio.

Diversos hospitais mais tradicionais da Capital já funcionam com esse esquema de pronto-socorro a portas fechadas há anos, é o caso do Hospital das Clínicas e o Hospital do Sapopemba.

É preciso denunciar que essa medida, realizada em plena pandemia de coronavírus, é totalmente escandalosa. João Doria e sua equipe de inimigos do povo é responsável pela morte de mais de 50 mil cidadãos. No último dia, houve um total de 11.167 novos casos no Estado e 323 mortes pela doença. Trata-se de um genocídio da população, movido pelo total descaso do governador.

Esses números são um indicativo de que a situação do sistema de saúde público no Estado é uma calamidade total, e os principais responsáveis por isso são os próprios políticos do PSDB, partido de Doria, que mantêm uma verdadeira ditadura em São Paulo, já ocupando o governo do Estado há quase 30 anos, a despeito de sua total impopularidade, conhecida por qualquer um que tenha algum contato com a população paulista.

A política neo-liberal dos governadores tucanos ocasionou a total destruição da sáude pública paulista, da mesma forma que fizeram com a educação no Estado e todos os outros serviços públicos. Todos que conhecem a sanha privatista dos governadores do PSDB sabem que esse é o modus operandi de seus governos: sucateiam os serviços para poderem, posteriormente, entregá-los de mão beijada para a iniciativa privada, na mão de algum de seus “amigos” da burguesia. A política é de longa data, mas Doria é um de seus maiores realizadores, só no ano passado, ele tentou cortar verba do programa de fomento à ciência, de bolsas de pesquisa, por três vezes.

A situação totalmente deplorável dos hospitais e postos de saúde em São Paulo é conhecida por todos. As filas são infindáveis e não há condições de atendimentos seguras para todos que precisam ser atendidos. A infra-estrutura é vergonhosamente inferior às necessidades da população e o baixíssimo número de profissionais também é patente em todos os locais. Apesar de ser o Estado mais rico do país e de sua capital ser uma das cidades mais ricas da América Latina, esses serviços apenas pioram com o passar dos anos e tudo graças à gestão vampiresca do PSDB.

Essa política assume um caráter ainda mais criminoso e genocida durante o período da pandemia do coronavírus, que já acabou com mais de 2 milhões de vidas ao redor do mundo todo desde o seu princípio, no começo do ano passado. São Paulo é o local com o maior número de casos e de óbitos de todo o país, superando até alguns países vizinhos, como Venezuela ou Cuba.

Apesar de desde o princípio da pandemia, a imprensa burguesa ter procurado vender João Doria como um governador “científico” ou “responsável”, sua atuação durante a pandemia é no sentido de ignorá-la totalmente e permitir a morte de toda a população sem nenhuma reação.

A própria vacina Coronavac, produzida em São Paulo, e muito alardeada por Doria e pela imprensa como a grande salvação do país contra o coronavírus revelou-se uma verdadeira farsa. O número de doses disponibilizadas é muito inferior ao necessário para que toda a população seja atendida, isso sem falar no fato de que já está quase se passando o período para que os poucos que foram vacinados tenham que tomar a segunda dose e não há nem sinal de que ela será aplicada em todos. Trata-se de um verdadeiro escárnio com o povo.

No entanto, toda essa propaganda, que ocorreu com auxílio considerável de um setor da esquerda, não engana a população de conjunto, que tem plena consciência do caráter totalmente genocida de Doria. É através de situações como esta relatada acima, que ele mostra sua verdadeira faceta. Ao fechar os pronto-socorros dos hospitais estaduais, ele coloca em risco a população que necessitará de atendimento imediato, além de gerar uma aglomeração maior em outros hospitais, cujos pronto-socorros ainda se encontram abertos.

Ele também é o governador que luta mais intensamente pela volta às aulas, que irá colocar milhões de crianças e funcionários de escolas sob risco de contrair o coronavírus e disseminá-lo entre seus familiares e amigos, tudo para atender aos interesses da burguesia dona de escolas particulares e dos negócios que necessitam da volta às aulas para que seus mercados se movimentem. Trata-se de um verdadeiro assassino do povo e toda a sua ação deve ser constantemente denunciada e combatida por todos os setores que se colocam a favor dos direitos da população e contra o golpe de estado.

Relacionadas
Send this to a friend