Universidade Marxista
Após ataque hacker e correção da plataforma, o curso retorna na próxima quinta (11), com a aula 15

Por: Redação do Diário Causa Operária

Após a aula 15 do curso “O que foi o stalinismo” ter sido adiada devido a um ataque hacker na plataforma da Universidade Marxista, na tarde desta terça (9), o problema foi corrigido e a penúltima aula ocorrerá na próxima quinta (11).

A atividade, parte da 46ª Universidade de Férias do Partido da Causa Operária (PCO) e da Aliança da Juventude Revolucionária (AJR) e tem se destacado pelo grande número de participantes (mais de 1200 inscritos) e a grande qualidade oferecida no curso, sob aulas do companheiro Rui Costa Pimenta, presidente do Partido.

Na última aula, Rui falou sobre a crise da economia da União Soviética, como as contradições entre os camponeses e o setor industrial. Sob inflação crescente, o dirigente explicou como o campesinato se chocaria contra o regime soviético. Segundo ele, a burocracia, pressionada pela classe operária, viu-se na necessidade de impor limites ao crescimento e enriquecimento dos camponeses.

No entanto, ao invés de pôr em prática o plano industrial proposto por Trótski, anos antes, a burocracia stalinista o ignorou e diante da crise com o campesinato, respondeu com dura repressão através da coletivização forçada da economia. Os stalinistas, que durante anos tinham se apoiado em sua aliança com o campesinato, agora obrigavam os camponeses a irem para fazendas coletivas e abdicar de seus bens. Rui explicou como esta mudança brusca gerou revolta, com os camponeses assassinando os animais das fazendas para evitar que fossem apropriados pelo regime, o que levou à queda da produção agropecuária nacional pela metade e à morte de milhões de pessoas pela fome.

Este foi apenas mais um episódio dos diversos relatados no curso, que mostram a atuação completamente reacionária do stalinismo, seus sucessivos erros e capitulações diante da burguesia e do imperialismo.

Da aula 1 a 14 já se viu de tudo. Stálin se aliou à burguesia dita democrática, traiu revoluções, como a da China, depois se aliou ao próprio nazismo e conseguiu ser invadido por Hitler. Entre tantas outras medidas quase inacreditáveis, que revelam Stálin como um verdadeiro “santo padroeiro do capitalismo”.

Diferente da propaganda que se faz dele, o stalinismo não foi uma continuação do marxismo e do seu legado, mas sim a revisão e desmoralização deste, que foi apresentado para várias gerações do século XX e XXI como um sinônimo do marxismo, do socialismo e do comunismo.

Tudo isto tem sido explicado no curso, através de citações de livros da época, sobretudo os de Trótski, mas também de dezenas de outros autores, para dar uma base bastante concreta, através de ângulos diferentes, do papel que o stalinismo cumpriu.

Assim, para quem quer continuar estudando este fenômeno do século XX, que ainda influencia vários setores de esquerda no século XXI, basta se inscrever no curso através do endereço: universidademarxista.pco.org.br e se cadastrar neste que é o maior curso de formação teórica marxista do País e que tem como objetiva fornecer instrumentos para a luta política concreta, que se trava contra o golpe de Estado no Brasil, neste momento.

Send this to a friend