bolsonaro
|

Por tsunami, o presidente ilegítimo entende a aproximação da expiração da medida provisória da reforma administrativa, que perde validade no próximo dia 3 de junho e, se não for aprovada pelo Congresso e sancionada por Bolsonaro até essa data, faria voltar a vigorar a estrutura ministerial do governo Temer, recriando ministérios como o Trabalho, do Esporte e Cultura, entre outras alterações.

Isso se dá em um momento em que o executivo encontra-se enfraquecido, diante do caráter improvisado do governo, da sua fraqueza (pela enorme rejeição popular) e pela disputa interna pelo seu controle pelas diversas frações da burguesia. Situação que só se intensifica pelo agravamento da crise econômica, diante da qual o regime golpista não tem qualquer alternativa que não seja intensificar os ataques contra os trabalhadores e todos os setores explorados e destruir a economia nacional em favor do grande capital imperialista.

O tsunami é o próprio governo ilegítimo de Bolsonaro e o regime golpista de conjunto que está impondo um amplo retrocesso e destruição ao País em todas as áreas, da produção industrial à Educação, da Saúde à Moradia etc. etc.

Passadas as bravatas da campanha eleitoral, o governo se enfrenta com a dura realidade de ter de apresentar uma saída que unifique os principais setores da burguesia golpista contra a imensa maioria do povo. Ao mesmo tempo em que se depara com uma tendência crescente à mobilização contra seus ataques, como se expressa na agitação política em torno do dia 15, Dia de Greve Nacional da Educação.

É o momento da classe trabalhadora e de suas organizações de luta, impulsionarem uma grande mobilização, com seu próprios métodos de luta, como a greve geral, a ocupação das ruas etc. para apresentar uma alternativa independente diante da crise, para barrar o tsunami contra o povo que é o regime golpista, tomar a iniciativa de dar um basta de uma vez por todas contra todas as reformas, algo que somente pode ser feito através da liberdade para Lula e pondo para fora o bolsonaro e todos os golpistas.

Relacionadas