Crise e desemprego
A explosão social é a que tem a maior probabilidade de acontecer a qualquer momento. Ninguém aguenta quieto fome, miséria e repressão violenta pela PM.
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
4089546298_7e304f97e9_c (1)
Protesto de trabalhadores | Foto: BoNoNoBo

Matéria do G1 Economia destaca que o auxílio emergencial segurou a queda do PIB do 2º trimestre em 2,5% em média nacional. Na região norte e nordeste o impacto foi maior, chegando a 6,5% e no Maranhão chegou a 8,6% do PIB. Esse auxílio pode representar até 97% da renda dos mais pobres.

O setor que sofreu menor queda foi o de varejo. Principalmente de alimentação e primeiras necessidades e parte em materiais de construção. 

Mesmo assim, o mês de abril foi o pior mês, graças a redução da renda e pela redução da produção pelo isolamento social, segundo cálculos da MB Associados.

Os cálculos do IBGE apontam queda do PIB em 9,7% no segundo trimestre do ano e o país entra novamente em recessão.

O balanço geral da economia a partir do golpe de Estado em 2016, que trouxe como consequência o atual presidente Jair Bolsonaro em eleições marcadas por fraudes de todo tipo, mostra o desemprego de metade da população, são 13 milhões nesta situação. Dos que continuaram empregados tiveram perdas salariais significativas.

A consequência foi a redução do consumo devido a queda de renda por desemprego e pelas reduções salariais. É fácil verificar que a crise que vem desde 2008 só poderia se aprofundar com a queda gigantesca do consumo principalmente de produtos de primeira necessidade e alimentação. 

E o PIB necessariamente teria que cair por isso. Com a pandemia, tudo ficou pior ainda. Sem renda não há consumo, sem consumo não há produção, fazendo um círculo vicioso em direção ao fundo do poço.

A matéria aponta a importância da diminuição do impacto da redução do PIB, uma gota de água no oceano. Que poderia ser evitada se o governo adotasse políticas públicas para conter a tendência à recessão. 

Mas o governo preferiu investir nos bancos e empresas, que pegaram o dinheiro (1,2 trilhões de reais) e aplicaram no mercado financeiro onde o principal emprestador é o estado, aumentando a dívida pública. 

Se a tendência era de aprofundamento da crise, com desemprego e queda no consumo repercutindo na produção, a opção correta seria aplicar recursos no consumo, transferindo renda para as famílias.

Como não fez isso, o resultado esperado era a explosão social que viria a seguir. Com a fome, miséria e desemprego em larga escala, a única coisa certa é que a sociedade vai explodir.

E é nesse contexto que vem o auxílio emergencial, para evitar a catástrofe que se desenhava e o perigo que representa para a estabilidade do governo. Uma salvação, temporária é claro, para conter a tendência explosiva da crise, já que a sociedade já estava bastante polarizada. E com as armas apontadas para o povo, em ameaças constantes de novo golpe.

Agora usam de estatísticas para enganar a população dizendo que a região norte e nordeste foi a mais beneficiada, justamente no local onde a popularidade do ex-presidente Lula é maior. Para tentar tirar votos do Lula e transferir para a direita fascista?

Fazem jogo de cena com disputas entre o presidente e o Guedes pelo continuar ou cessar o auxílio. Mas já sabem que será necessário continuar, pois a crise continua com tendência a aumentar e a explosão social está cada vez mais próxima de se realizar.

A crise vem se aprofundando dia após dia, e com ela aumenta no mesmo grau a possibilidade de convulsão social. Ninguém aguenta por muito tempo fome, miséria e pandemia, sem que em algum momento resolve dar um basta e chutar tudo pra cima. Essa hora está chegando, não demora muito pra acontecer.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas