foguete base de alcantara

No dia 22 de agosto, o portal Vermelho, vinculado ao PCdoB, publicou uma matéria sobre as opiniões do engenheiro Carlos Gurgel sobre a entrega do Centro Espacial Alcântara, no Maranhão, ao imperialismo norte-americano. A matéria, intitulada “Cientista elogia voto da oposição sobre acordo da Base de Alcântara” e assinada por Iram Alfaia, é uma defesa explícita da recente votação do PCdoB na Câmara dos Deputados, quando o partido decidiu se aliar ao PSL e a toda a burguesia para aprovar a entrega da base maranhense.

De acordo com Gurgel, o Acordo de Salvaguardas Tecnológicas (AST) para uso do Centro de Lançamentos de Alcântara apenas “abriria brechas” para algumas “interpretações” que podem “dificultar o desenvolvimento” do programa espacial brasileiro. No entanto, o acordo seria “vantajoso” para o Brasil, uma vez que 80% da tecnologia espacial teria algum componente de fabricação dos EUA.

O AST não apresenta avanço algum para o país – pelo contrário, é o avanço da direita imperialista em direção ao roubo de todo o patrimônio nacional. Há mais de 20 anos que a burguesia tenta impor o AST ao Brasil. As duas primeiras tentativas ocorreram no segundo mandato de Fernando Henrique Cardoso, mas foram barrados pelo Congresso e por um plebiscito nacional. Agora, a extrema-direita, com a chancela de partidos como PSB, PCdoB e PDT, conseguiram, enfim, aprovar o acordo.

Na prática, a base de Alcântara deixou de pertencer ao Brasil – os americanos agora poderão monitorar, inspecionar, acessar, acompanhar e controlar as operações que acontecem em território brasileiro. Trata-se não só de uma atrocidade para a economia brasileira, mas também uma operação de auto-sabotagem do governo brasileiro em relação à sua soberania.

A política de negociar com o governo Bolsonaro, que é a política da “frente ampla”, está se mostrando um fracasso. É preciso sair às ruas de maneira decidida a derrubar o governo. Fora Bolsonaro e todos os golpistas!