Censura
A esquerda está rapidamente aprendendo a lição
BEIJING, CHINA - NOVEMBER 9, 2017: US President Donald Trump (L) and China's President Xi Jinping shake hands at a press conference following their meeting at the Great Hall of the People in Beijing. Artyom Ivanov/TASS (Photo by Artyom IvanovTASS via Getty Images)
Trump foi calado e a esquerda aplaudiu | Arquivo.
BEIJING, CHINA - NOVEMBER 9, 2017: US President Donald Trump (L) and China's President Xi Jinping shake hands at a press conference following their meeting at the Great Hall of the People in Beijing. Artyom Ivanov/TASS (Photo by Artyom IvanovTASS via Getty Images)
Trump foi calado e a esquerda aplaudiu | Arquivo.

O jo rnalista norte-americano, Glenn Greenwald, denunciou que um dos maiores partidos de esquerda do Reino Unido, o Socialist Workers Party (SWP) teve sua conta fechada n xo Facebook. A justificativa do monopólio da comunicação teria sido a defesa do partido à causa palestina.

Nos últimos dias, o Twitter também fechou as contas da embaixada da China nos Estados Unidos e da Assembléia Nacional da Venezuela. Também a conta do líder supremo do Irã, aiatolá Ali Khamenei, foi bloqueada pelo Twitter.

Fica muito claro que há um verdadeiro expurgo promovido por esses monopólios das redes sociais que se intensificaram desde que as contas de Donald Trump e alguns de seus apoiadores de extrema-direita também foram banidas.

Estava claro que a perseguição contra Donald Trump era apenas um pretexto para que os monopólios colocassem em marcha sua política de censura e que essa política se voltaria com muita força contra a esquerda e organizações populares.

Esse era o movimento óbvio da censura contra os apoiadores de Trump. Dar poder aos monopólios da comunicação de censurar um elemento de extrema-direita, que inclusive era presidente dos Estados Unidos, é permitir que se censure qualquer um. Isso deveria ser óbvio, mas não está sendo para a esquerda pequeno-burguesa.

Como sempre, a esquerda acompanhou cegamente os jornais imperialistas, que defenderam a censura. Segundo os argumentos geniais desses esquerdistas, o fascismo não deve ter liberdade de expressão. Trata-se, logicamente, de uma falácia argumentativa. Qualquer um deveria saber que, se o fascismo deve ser combatido, isso deve ser feito com as armas da própria esquerda e dos trabalhadores, não usando as armas dos grandes monopólios e do Estado capitalista, que são em última instância grande máquinas fascistas.

Espera-se que os setores da esquerda que acompanharam a histeria produzida pelo imperialismo contra os apoiadores de Trump aprendam com esses recentes casos de censura contra a esquerda.

Nunca foi tão usada a expressão popular “pau que bate em Chico, também bate em Francisco”. E foi muito rápida a confirmação dessa sabedoria popular. O pau que bateu em Trump já está batendo com mais força na esquerda.

Os monopólios, que atuam de acordo com os interesses do Estado, vão partir contra todos os inimigos do regime político. Os de extrema-direita podem ser inimigos nesse momento e por isso estão sendo censurados, mas podemos ter certeza que a esquerda, as organizações populares, esses serão duramente perseguidos.

No final das contas, a esquerda que está defendendo a censura contra Trump, está defendendo a censura contra ela mesma. E o fascismo, que é usado como pretexto para essa política, está sendo fortalecido e não enfrentado.

Relacionadas
Send this to a friend