O momento é de ação, não confiar na justiça golpista, participar da Conferência Aberta de Luta contra o Golpe

conferencia

A prisão do ex-presidente Lula, as eleições incertas, a entrega do Pré-Sal, a maior riqueza do Brasil, o fim da CLT, a reforma da previdência, o fim do ensino público, da saúde pública, o aumento da terceirização e do desemprego e tantas outras medidas desde que o golpe se instaurou no Brasil.

Diante destas questões, o movimento de luta contra o golpe que se desenvolveu desde que Dilma Rousseff foi deposta está paralisado e sem ação. Os últimos acontecimentos como a condenação e prisão de Lula, completamente ilegais, e os inúmeros casos de violações da Constituição demonstraram que não há saída para derrotar o golpe por vias legais e muito menos por meio da justiça golpista.

Nas duas últimas semanas duas decisões do Superior Tribunal Federal, mas particularmente, da Segunda Turma do STF, favoráveis à presidenta do PT, Gleisi Hoffmann e ao ex-ministro da Casa Civil, José Dirceu fez com que boa parte da esquerda que luta contra o golpe criar expectativas sobre uma possível decisão favorável para a liberdade do ex-presidente Lula.

Ao mesmo tempo em que o STF inocentava Gleisi Hoffmann de acusações de corrupção e libertava José Dirceu da cadeia, o ministro Edson Fachin recusou da defesa de Lula e cancelou o julgamento que seria feito pela Segunda Turma na terça-feira dia 26. Agora quer que o julgamento vá para os 11 juízes do STF, em agosto, vésperas das eleições.

Diante destes fatos não é possível ficar parado e acreditar que uma saída jurídica para a liberdade de Lula e o registro de sua candidatura. É necessário organizar uma resistência com todos os setores e ativistas que querem derrotar o golpe.

O Congresso do Povo que estava sendo organizado pela Frente Brasil Popular foi adiado para 2019 e poderia ser um eixo de luta. A única atividade que pode dar um sentido e um plano de ação para lutar contra o golpe é a Conferência Aberta d Luta Contra o Golpe que irá ocorrer entre os dias 21 e 22 de julho em São Paulo e está sendo promovido pelo Partido da Causa Operária e os Comitês de Luta Contra o Golpe. Esta conferência pretende discutir um plano de ação para os comitês existentes e a criação de novos comitês que possam agrupar o maior número de pessoas para uma mobilização efetiva e regular que coloque em xeque o regime golpista.

A participação na Conferência é livre, a inscrição é individual e deve ser divulgada o mais amplamente possível.

Somente com uma mobilização em escala nacional que seja organizada e coloque de fato o povo e os trabalhadores na rua é possível derrotar o golpe, revogar as medidas golpistas, libertar Lula e garantir que haja eleições minimamente democráticas.