O laranjal de Bebbiano: baixo clero bolsonarista se enrola em esquemas de corrupção miúda

Entrevista com o presidente do PSL, Gustavo Bebiano

Um dos principais motes da campanha eleitoral da extrema-direita e de seu candidato, o golpista Bolsonaro, era a chamada luta contra a corrupção. Os bolsonaristas se apresentavam como sendo os representantes da pureza na política, um contraposto à esquerda, em especial ao PT e a Lula, este caracterizado por eles como o maior corrupto de toda a história do país.

Passado o período eleitoral, onde a demagogia é a lei, tudo se esclarece. Os que se diziam puros, vão revelando a sua verdadeira face extremamente corrupta. Um exemplo desse fato é mais uma denúncia de corrupção envolvendo mais um membro do governo golpista de Bolsonaro, Gustavo Bebiano, que ocupa o cargo de Secretário Geral da Presidência. Ele é acusado de ter desviado R$ 250 mil da verba pública para a campanha de uma ex-assessora, a qual, por fim, teria repassado o dinheiro para uma gráfica fantasma.

Na época, Bebiano era presidente nacional do PSL, partido de Bolsonaro. A denúncia soma-se as outras envolvendo membros do governo bolsonarista, como um dos próprios filhos de Bolsonaro, Flávio Bolsonaro, investigado por manter um esquema de desvio de dinheiro por meio de um laranja, seu próprio motorista, Carlos Queiroz.

As denúncias de corrupção envolvendo o governo da extrema-direita, em primeiro lugar, deixam claro o caráter fajuto e farsesco da chamada “luta contra corrupção” da extrema-direita. Em segundo lugar é preciso ter claro que os bolsonaristas fazem parte do chamado baixo clero da política nacional, no que diz respeito à corrupção, são ainda aprendizes dos grandes mestres na arte de roubar o dinheiro do povo: os políticos da direita tradicional, os tucanos e “democratas”, por exemplo.

Os bolsonaristas estão ainda aprendendo a fazer o serviço, as denúncias deixam claro também a luta interna no governo para ver quem vai ficar com a maior parte do enorme assalto que os golpistas da extrema-direita pretendem promover contra o dinheiro do povo.

Nesse sentido, a única saída é por abaixo todo esse regime golpista dominado pela direita e pela extrema-direita, inimigas dos interesses da classe trabalhadora e do povo. É necessário mobilizar a população, os comitês de luta contra o golpe e suas organizações pela derrubada imediata do governo. Fora Bolsonaro e todos os golpistas!