O habeas corpus do Lula é o povo

lula_sind_metalurgicos04_multidao

Muito especula-se sobre qual seria a estratégia jurídica ideal para tirar Lula da cadeia.

Há 17 dias o ex-presidente encontra-se preso nas masmorras da Polícia Federal em Curitiba, por conta de um processo publicamente reconhecido como fraudulento, manipulado e sem base legal. A principal característica da prisão de Lula é desde o primeiro momento o ataque escandaloso à Constituição de 1988, um ataque indispensável para o prosseguimento do golpe de 2016, que de modo algum pode sequer aceitar que Lula concorra para presidente da República nas eleições de 2018.

É a partir desse cenário, levando em conta a ruptura institucional que significou o impeachment sem crime de responsabilidade contra a presidenta eleita Dilma Rousseff, que deve-se analisar a eventual efetividade ou não de medidas judiciais.

É necessário que se tenha claro: juízes não vão livrar Lula da cadeia, apenas uma mobilização revolucionária o fará.

São Bernardo mostrou o caminho, colocando os golpistas num impasse. Os trabalhadores que cercaram o Sindicato dos Metalúrgicos de São Bernardo colocaram o golpe em xeque. 

A única maneira de libertar Lula e partir para derrotar o golpe é mobilizando as massas trabalhadoras para sair às ruas em atos públicos com milhões de pessoas Brasil a fora.

A prisão de Lula deve ser revertida no campo político, por meio de uma demonstração de força via o enfrentamento direto das massas com o governo golpista.

Lula está preso em Curitiba, portanto nada mais correto neste momento do que promover um grande ato nacional de 1º de maio na capital paranaense para pressionar os golpistas. Este é o caminho para um futura e breve libertação de Lula. Curitiba deve ser palco da maior manifestação que aquela cidade já viu.

Neste 1º de maio, todos a Curitiba. Ocupar Curitiba contra o golpe e exigindo liberdade para Lula.