O golpe piorou as condições de vida do povo: desigualdade é a pior em sete anos

Segundo dados de um levantamento da Fundação Getúlio Vargas (Ibre/FGV) divulgado pelo Estadão/Broadcast, a desigualdade de renda aumentou no Brasil em 2018, atingindo seu maior índice desde 2012.

A desigualdade de renda entre os domicílios subiu 1,7% no 4º trimestre de 2018, enquanto que, no 3º trimestre de 2018, era de 0,6156. Esse nível de desigualdade tem aumentado pelo 16º trimestre consecutivo.

De acordo com o pesquisador da FGV e autor do levantamento, Daniel Duque, os principais motivos que têm levado ao aumento da desigualdade entre famílias são o desemprego e os baixos salários decorrentes da falta de capacitação profissional. A falta dessa capacitação faz com que o trabalhador tenha dificuldade para crescer na sua carreira, fazendo com que, muitas vezes, ele tenha que recorrer ao trabalho informal para se manter e, por consequência, sua renda cai consideravelmente.

Outro motivo apontado por Duque é a falta de aumento real do salário mínimo aliado à queda do PIB (Produto Interno Bruto) em 2015 e 2016. Isso fez com que, desde esse período até agora, o aumento passasse a ocorrer acompanhando a inflação.

Isso mostra que a direita, que agora está no poder, não tem melhorado de modo nenhum as condições de vida do povo brasileiro. Muito pelo contrário: tem deteriorado as suas condições de vida vertiginosamente. Retirando os direitos dos trabalhadores e ameaçando acabar com toda sorte de assistência social, deixando dezenas de milhões de pessoas desempregadas e no subemprego, fazendo com que grande parte da população caia na miséria.

Foi para isso mesmo que deram um Golpe contra o PT e derrubaram a ex-presidenta Dilma: retirar da população na tentativa de salvar os grandes capitalistas da crise do sistema. Fizeram a mesma coisa através dos ex-presidentes Collor, Itamar Franco e FHC. Como eles atingiram um alto índice de impopularidade diante da implementação do destrutivo projeto neoliberal no Brasil, a burguesia permitiu ao PT que governasse durante algum tempo para que ele servisse apenas como uma “válvula de escape” do regime burguês nacional e a situação não se tornasse explosiva, fugindo do controle.

Passado esse momento, foi conveniente à burguesia que se iniciasse a perseguição ao PT, derrubando a Dilma e colocando o Temer em seu lugar. A direita perseguiu juridicamente o ex-presidente Lula e o pôs na cadeia, por meio de um processo totalmente fraudulento. Através de uma grande fraude eleitoral, o impediram de concorrer às eleições para colocar na presidência Jair Bolsonaro, afim de que ponha em prática o plano de ataque aos direitos da população que o FHC não conseguiu cumprir em sua totalidade.

Sendo assim, a única maneira de reverter essa situação e combater a direita é por meio da mobilização popular, nas ruas. É importantíssimo neste momento organizar-se em torno da palavra de ordem “Fora Bolsonaro!”, mobilizar-se contra as reformas do atual governo golpista e fazer a campanha em prol da libertação do Lula.