Farsa Política
A eleição de Edmilson apenas reforça a necessidade da burguesia de criar uma esquerda domesticável, sem base popular como o PT e, portanto mais propensa às suas pressões
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
img20180313213035432-scaled-oz3njacj5m5ujj7eg3oplacu6tcyubfaeoxyrz6kgw
Edmilson Rodrigues, farsa do PSOL para fortalecer a frente ampla em Belém | Foto: Reprodução

O colunista de O Globo, Bernardo Mello Franco, considerado o “especialista” em assuntos de esquerda de um dos jornais mais reacionários do país, decidiu explicar a eleição de Edmilson Rodrigues (PSOL) para a prefeitura de Belém, capital do Pará.

A matéria, entretanto não é nada boa para quem se considera de esquerda. Mello inicia sua matéria dizendo que “a oposição se dividiu em 2020” e por isso teria perdido na maioria das capitais. A exceção teria sido justamente a capital paraense onde o deputado federal do PSOL encabeçou o que ele mesmo considera uma “frente de esquerda”.

Edmilson é figura velha na política de Belém. Ele já foi prefeito duas vezes pelo Partido dos Trabalhadores e como todo bom pequeno burguês carreirista saiu do partido na primeira crise que surgiu após a ascensão do petismo ao governo federal. Desde então ele está no PSOL.

Quando reeleito em 2000 o político contava com o apoio do PPS, PC do B, PCB e PSB, que juntos formaram com o PT, então partido de Edmilson, a chamada Frente Belém Popular. Não há novidade alguma, portanto no que se refere a uma Frente de Esquerda inédita ou algo do tipo nesta capital.

O fato novo desta eleição de Edmilson 20 anos depois teria sido a atual aliança com seis partidos, “incluindo o PT de Lula e o PDT de Ciro Gomes”, assinalou o jornalista do O Globo.

Ocorre que além destas legendas o deputado teve o apoio decisivo do PSDB e de sua sublegenda o PV, conforme já demonstrado por este diário. Ambas as legendas de direita foram decisivas para o Golpe de Estado de 2016 que destituiu Dilma, abriu o caminho para prisão de Lula, a eleição de Bolsonaro e agora formam a base governista deste no Congresso Nacional.

A esquerda bem pensante, porém está em polvorosa comemorando a derrota do bolsonarista Delegado Eguchi (Patriota). Enquanto isso, a eleição de Edmilson apenas reforça a necessidade da burguesia de criar uma esquerda domesticável, sem base popular e, portanto mais propensa às suas pressões. Eis o papel decisivo do PSOL neste processo.

A frase que melhor define a comemoração do psolista é justamente a que comprova o seu oportunismo e de seu partido: “Provamos que a esquerda unida pode derrotar o fascismo. Ninguém tem direito de impor uma derrota ao país por vaidade. O Lula tem que fazer autocrítica, reconhecer que não é Deus. O Ciro também precisa ter mais humildade”, afirma.

De fato, assim como Lula não é Deus, tampouco o que se apresentou em Belém foi uma unidade de esquerda. A não ser que PSDB e PV passaram a compor este campo por imposição dos fanáticos da frente ampla que insistem em virar a página do Golpe e abraçar os golpistas “arrependidos” como forma de limpar a sua culpa pelo atual cenário do país. Aliar-se com os fascistas de ocasião para derrotar o fascismo institucionalizado…

A verdade é que inúmeros elementos do PSOL assim como o carreirista profissional Edmilson Rodrigues apoiaram ao lado dos partidos de direita a desmoralizada Operação Lava Jato, comemoraram a prisão de Lula e a perda de seus direitos políticos e até mesmo uma possível cassação do registro do PT, tudo isso no afã de ocupar seu lugar no cenário político nacional. E, portanto é assim que agem atualmente.

Diante disto é preciso chamar a população trabalhadora para a realidade. É preciso denunciar sistematicamente que nenhuma “nova liderança” forjada nos estúdios Globo será capaz de substituir artificialmente a figura de Lula e do PT, que mesmo com todas as suas contradições políticas segue sendo a maior liderança de um partido com base popular real.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas