O fim do Foro Privilegiado abriu a caça às bruxas

foro

A alguns meses surgiu no Congresso brasileiro a chamada restrição ao Foro Privilegiado, um direito fundamental da Constituição que defende as candidaturas dos eleitos pela população. O Diário Causa Operária alertou desde o início e aconteceu rápido, e essa semana virou uma festa.

O governador da Paraíba, Ricardo Coutinho, cometeu um suposto crime e já foi enviado para 1ª Instância e o juiz responsável, por interpretação – quase divina – encaminhou a denúncia. A própria golpista Rede Globo disse que o STF está analisando diversos casos e o que significa que vai aumentar o controle ilegal sobre o trabalho dos parlamentares. O Congresso está virando refém da justiça burguesa, vai começar a ser pressionado e isso vai acabar esmagando a população, pois, se um eleito pode sofrer esse tipo de perseguição ilegal, imaginemos aqui um cidadão qualquer.

Vale ressaltar também que, a 1ª Instância é a justiça local, e o que está muito claro na sociedade burguesa atual é que as máfias de famílias das oligarquias locais – como a família de Aécio Neves em Minas Gerais, que há provas e denúncias no Congresso de ameaças de morte a imprensa local – estarão liberados, dentro do seu próprio ninho de cobra para fazer o que acharem melhor. Assim, o atual caso enviado para justiça de Minas Gerais, do citado à cima, senador Aécio Neves (PSDB), pelo seu amigo Alexandre de Moraes, evidentemente que com essas novas informações, não será julgado – o que ficou claro nos áudios do senador com o Beto Richa (PSDB) no Paraná, que não viraram nada.