O fascismo e a atual etapa política

hitler mussolini

Os trabalhadores brasileiros estão diante de uma ameaça concreta: o ascenso da extrema direita fascista por meio de um golpe militar.

A vitória de Bolsonaro nas eleições colocou os militares mais abertamente no controle da situação. Não dominam por completo. Têm que lidar com as instituições parlamentares que são um obstáculo à sua ação. O fascismo dos seguidores de Bolsonaro, que não possui uma base sólida em nenhum movimento popular, no entanto, empalideceria diante do que seria uma nova ditadura militar no Brasil, que prescindem de base popular para intervir. São características da atual etapa política, da dominação do imperialismo em todo o mundo e da impossibilidade de levar adiante essa dominação pelos governos democráticos usuais.

É preciso compreender essa questão profundamente e levar em conta os dados da situação para orientar a classe trabalhadora na luta contra o golpe de Estado. Esse é o propósito da próxima edição da Universidade de Férias do PCO, que se realizará em janeiro de 2019.

No curso que o companheiro Rui Costa Pimenta vai apresentar, as experiências do fascismo italiano e alemão serão estudadas em profundidade e ilustrarão a discussão sobre os rumos da situação política brasileira nos dias de hoje.

Essa compreensão é decisiva para discernir o que está em curso. Temos a nosso favor a vantagem de contar com a experiência de Leon Trótski e da luta travada contra a ascensão do nazismo na Alemanha, por exemplo. São problemas que precisam ser estudados em detalhe e só a Universidade de Férias do PCO vai dar o tempo e a atenção necessários ao problema diante da situação política nacional.

Todo militante ou mesmo simpatizante da luta contra a direita e os golpistas deve se familiarizar com essa experiência. Uma indicação básica de leitura, nesse sentido, é o importante livro Revolução e contrarrevolução na Alemanha, que reúne artigos e folhetos escritos por Trótski no calor dos acontecimentos, nos anos decisivos que precederam a ascensão do nazismo na Alemanha. A caracterização da capitulação e da derrota do Partido Comunista, seus erros e a linha política falsa seguida por seus dirigentes, é uma lição fundamental para o estabelecimento da política correta para enfrentar a extrema direita.