O fascismo da burguesia: coxinha mata morador de rua a tiros em Santo André

tiroSA

Um morador de rua da cidade de Santo André, na Grande São Paulo, foi assassinado no último sábado com diversos tiros a queima roupa. Sebastião Lopes dos Santos, de 40 anos, era conhecido pela vizinhança e nunca havia feito mal a qualquer pessoa no bairro andava.

As câmeras de segurança próximas ao local do crime registraram o acontecimento, e na gravação o atirador desce de um carro de luxo, segue em direção à Sebastião e sem motivo algum dispara contra o morador. O assassino passou pelo local, avistou o homem e voltou para vitimar o morador de rua.

Mesmo sem ter cometido crime algum, Sebastião foi sentenciado sumariamente à morte, sem o menor direito de defesa, simplesmente por ser pobre e estar em situação de rua. Em um ato claramente fascista, um burguês sentiu-se confortável o suficiente para acabar com uma vida que para ele tem valor nenhum.

Muitos são os casos em que coxinhas agem dessa mesma forma com moradores de rua, como o emblemática caso de um indígena em Brasília que teve o corpo queimado por filhotes da burguesia. Todo tipo de violência praticado contra o povo de rua sai impune quando praticado por burgueses estéricos que jogam nas costas dos mais pobres a culpa pela crise do país.

Em tempos de governo do fascistóide Bolsonaro, a tendência é que a violência contra a população miserável aumente cada vez mais, já que a própria burguesia, com sede de sangue dos mais pobres, impulsiona o fascismo que toma conta das forças de repressão do estado. Com atitudes como essa, fica claro que a própria burguesia é fascista e vai levar a repressão aos trabalhadores a níveis ainda não vistos.