De lei a política de Estado
A derrota do Escola com Fascismo no STF não barra a penetração do fascismo nas escolas e nem torna essa instituição menos golpista ou mais democrática
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
professora-com-mordaca-na-boca-gettyimages
Para acabar com o fascismo e a mordaça, somente a mobilização | Crédito: Getty Images

Na última sexta-feira (21) o Supremo Tribunal Federal (STF) julgou as Ações Diretas de Inconstitucionalidade (ADI 5537, 5580 e 6038) da lei Lei 7.800/16 de Alagoas, que estabelecia um regime fascista nas escolas, tal como estabelece as teses do movimento Escola sem Partido, eufemismo para Escola com Fascismo, seu objetivo. A Corte decidiu por 9×1 pela inconstitucionalidade da lei fascista Escola Livre de Alagoas.

A decisão do STF tende a disciplinar a matéria, o que pode tornar inconstitucionais as diversas leis, que pretendem estabelecer as teses do escola com fascismo, que tramitam em casas legislativas.

A decisão do STF foi comemorada pela esquerda como uma vitória democrática; a corte Constitucional, que em si um elemento antidemocrático incrustado no Estado brasileiro, teria enterrado de vez o Escola com Fascismo, vulgo Escola sem Partido. Será mesmo um motivo de comemoração? e mais, é possível esperar que instituições do regime político golpista possam proteger os direitos democráticos do fascismo?

Podemos por antecipação responder essas duas questões pela negativa, não há motivos para comemoração e nem o STF ou as demais instituições agem para defender os direitos democráticos, pelo contrário.

O Escola com Fascismo, vulgo Escola sem Partido, faz parte do movimento de caráter fascista impulsionado pela burguesia contra o governo do PT, este movimento resultou no golpe de 2016 e na subida de Jair Bolsonaro ao poder com a fraude eleitoral de 2018. O modus operandi do Escola com Fascismo, como movimento auxiliar ao golpe de Estado, foi a perseguição a professores, aos sindicatos do setor e o movimento estudantil, uma política para desorganizar completamente professores e estudantes, bem como uma tentativa de expurgar a esquerda do serviço público, colocando todos na defensiva.

Esse movimento foi fundamental para pavimentar o caminho para a militarização das escolas por todo o país, para a nomeação de interventores do governo federal nas universidades, para a intervenção inconstitucional do governo na escolha dos reitores, para a aplicação de censura governamental nos conteúdos das disciplinas, para a diminuição gigantesca das verbas para pesquisa e extensão, e da própria verba para a educação, para a espionagem de professores, alunos e funcionários públicos considerados inimigos do governo (como o dossiê de funcionários antifascistas), para a intervenção das forças de repressão nas universidades nas eleições de 2018.

O Escola com Fascismo cumpriu boa parte de seus objetivos por meio de métodos fascistas sem se deparar com o mínimo impedimento das instituições do regime golpista, como o STF. A referida ação desta Corte nada tem haver com a garantia dos direitos democráticos que o Escola com Fascismo assassina, mas tão e somente com a luta no interior do bloco golpista. Cabe salientar que as teses fundamentais deste movimento fascistas estão incorporadas no programa de governo da extrema-direita, ou seja, são hoje uma política de Estado.

A Suprema Corte brasileira aliás foi parte fundamental em todo o processo do golpe, garantindo a “legalidade” de todos os crimes cometidos pela direita e pela extrema-direita contra militantes e o governo do Partido dos Trabalhadores, assim como contra toda a população e a economia nacional. É uma medida pontual que não altera no fundamental o estado dramático que vive a educação e a liberdade de expressão no país.

Para derrotar o fascismo que grassa nas educação e no interior do aparato estatal é preciso mobilizar as massas, professores, estudantes, comunidade escolar e acadêmica, bem como o conjunto da população para pôr abaixo o regime golpista. A derrubada da extrema-direita no poder é o único meio para varrer de volta para o esgoto a escória fascista.

Fora Bolsonaro! Nenhuma confiança no STF golpista e nas instituições golpistas!

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas