O corte de bolsas: uma agenda antipobre e antipatriota na educação

BRAZIL-CULTURE-TEMER

No dia 1º de agosto, a CAPES – Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior – emitiu uma nota (link1 ao final do texto), na qual afirma que, caso o governo federal, à revelia do artigo 22 da LDO – Lei de Diretrizes Orçamentárias – (link2 ao final do texto), isto é, em contrariedade à lei, insista no teto imposto à referida agência de fomento à pesquisa, reduzindo drasticamente a sua verba, os resultados serão desastrosos para a pesquisa e o ensino brasileiros. Em termos práticos, o fomento à pesquisa de pós-graduação e a outros programas deixaria de existir, empurrando pesquisadores, professores e cientistas brasileiros para o limbo, levando, por consequência, à falência o desenvolvimento educacional e científico do Brasil.

Desde os boicotes do poder legislativo, cujo principal articulador, à época, era Eduardo Cunha, ao segundo governo Dilma, a educação federal tem sofrido ríspidos ataques. Com o golpe de Estado, cuja efetivação e declaração se deu com o afastamento e, depois, com o impeachment da presidenta democraticamente eleita, os cortes e outras formas de ataques ao ensino público federal tornaram-se demasiadamente mais frequentes e graves. Em vez do atual governo federal fomentar a pesquisa, o ensino e a ciência, ele vem, desde quando usurpou o poder, não medindo esforços para desmontar as universidades e o sistema educacional do país. O esforço não se dá na direção do bem da nação e do seu povo, mas sim na direção contrária.

O Brasil é um país com inimagináveis potencialidades. Noam Chomsky, um dos maiores intelectuais vivo, ao defender a candidatura de Lula, observou que, há cerca de 100 anos, analistas americanos caracterizaram o Brasil como “o potencial colosso do [hemisfério] Sul” (link3 ao final do texto). O Brasil só não o é, ainda, embora já tenha sido nos governos PTistas (quando passamos a ser ativos e altivos na geopolítica internacional), em razão de boicotes vindos de dentro do próprio país e de fora dele. O teto imposto pelo governo à CAPES configura-se mais um desses boicotes. Por que os golpistas querem o enfraquecimento da nação? Isso se explica facilmente, quando se atenta àqueles que financiaram o golpe: os grandes rentistas estrangeiros e a elite brasileira colonial e escravocrata. Os interesses desses dois grupos não passam por uma nação brasileira soberana e, por essa razão, eles a boicotam.

Com breve busca no Google, é possível encontrar grandes pesquisadores repudiando de forma veemente o corte imposto pelo governo Temer à CAPES. Miguel Nicolelis, brasileiro, um dos maiores cientistas do mundo, pesquisador que possibilitou, com o uso de um exoesqueleto, a um homem tetraplégico chutar a bola de início da Copa do Mundo de 2014, afirmou que esse corte “pode representar a última pá de cal da ciência brasileira” (link4 ao fim do texto). Para quem não sabe, as pás de cal são jogadas sobre o túmulo de quem está sendo enterrado. O clima entre os pesquisadores brasileiros é fúnebre, é de quase luto pela nossa ciência.

Aproximam-se as eleições e, com elas, catástrofes e esperanças. Lula, maior líder político mundial ainda vivo, a maior figura viva da história brasileira, internacionalmente reconhecido pelos seus grandes feitos, em especial, no combate à fome, no desenvolvimento educacional e da pesquisa científica do Brasil, bem como pela respeitável diplomacia do seu governo, cujo chanceler foi o eminente diplomata Celso Amorim, etc., é o preferido dos eleitores. Ainda está na mente e no coração do povo o que foi a “Era Lula”. O ex-presidente segue líder em quaisquer pesquisas, mesmo naquelas realizadas por institutos que lhe fazem oposição (por exemplo, o Datafolha da família Frias, também dona do jornal Folha de S. Paulo). Lula foi o presidente que mais criou universidades, escolas técnicas, IFs, foi o que mais criou programas de acesso à educação para os mais pobres e menos favorecidos do país, realizou diversos programas de estudos no estrangeiro, sem deixar de ampliar e aperfeiçoar o ensino brasileiro interno. Uma lista muito maior de contribuições do ex-presidente PTista para a educação nacional é possível ser feita. A fim de atender à aclamação popular, Lula foi confirmado, ontem, na convenção nacional do PT, candidato à presidência da República pelo Partido dos Trabalhadores. Ele é o maior representante da esperança do povo brasileiro. Do lado da catástrofe nacional estão Alckmin, Álvaro Dias, Bolsonaro e Marina Silva, pois todos estes são representantes do neoliberalismo, regime econômico que devastou a Europa e os EUA e quem vem devastando o Brasil nas mãos de Temer, bem como já ocorreu nos governos de FHC. Alckmin afirmou, no dia 2 de agosto, um dia após a mencionada nota da CAPES, em entrevista à Globo News, que pretende tornar o ensino superior pago (link5 ao fim do texto). Bolsonaro, seu economista Paulo Guedes e seus seguidores (por exemplo, Sara Winter, promotora de algazarras em universidades públicas, com o objetivo de criar factóides e difamar o ensino público) também defendem o fim do ensino público e, com isso, a elitização da educação brasileira. Álvaro Dias (Podemos), recém-ex-PSDBista, e Marina Silva (REDE) apresentam-se adeptos, com algumas nuances distintivas, da mesma ideologia econômica dos candidatos do PSDB e do PSL, constituindo-se neoliberais. A agenda neoliberal é antinacional, antipatriótica, antipobre, inclusive, no âmbito educacional e científico.

O poder Judiciário, também consideravelmente golpista (vide suas sucessivas manobras, desde julgamentos do Mensalão e as da Lava Jato até a pauta do STF imposta por Cármen Lúcia), não pode retirar a soberania do povo. Se querem derrotar Lula, que o derrotem nas urnas! A escolha do povo deve ser soberana!

Link1:https://sei.capes.gov.br/sei/controlador_externo.phpacao=documento_conferir&codigo_verificador=0746852&codigo_crc=6755A444&hash_download=ef5e65b749e9b6a0c124c56e438345f0dbb86d4b097fccd29f4b4221365642ee971b5a5e507aea925d83d67d1d4d79f08696fa5be30b507aa19122ff68c396a9&visualizacao=1&id_orgao_acesso_externo=0

Link2:http://www.camara.gov.br/proposicoesWeb/prop_mostrarintegra;jsessionid=C05E90B3875A65B9AB3B6665D91693EF.proposicoesWebExterno2?codteor=1651944&filename=PLN+2/2018+CN

Link3:https://www.youtube.com/watch?v=uOtv-GFNOWA

link4:https://www.diariodocentrodomundo.com.br/essencial/miguel-nicolelis-sobre-corte-na-capes-pode-representar-a-ultima-pa-de-cal-na-ciencia-brasileira/

link5:https://www.youtube.com/watch?v=pKwmyTIu6O4

Por Filipe Monteiro Morgado, pesquisador (bacharel, licenciado e mestrando em Filosofia, bem como graduando em Computação) na Universidade Federal Fluminense