O choque neoliberal: destruição da infraestrutura pelos golpistas leva SP e RJ ao caos com as chuvas

Screenshot_20190311-174146 (1)

Um dos maiores reflexos do golpe é o massacre as condições de vida dos trabalhadores em todo país. A direita, que governa São Paulo e Rio de Janeiro, por exemplo, está destruindo os Estados, como pode ser percebido com as enchentes que atingiram ambas regiões na última semana.

No estado de São Paulo, o descaso do governo, liderado pelo tucano João Doria, já deixou, pelo menos, 11 mortos apenas com as chuvas do último final de semana. Foram registrados quatro óbitos, oriundos de deslizamento de terra em Ribeirão Pires, 3 afogamentos em São Caetano do Sul, além de 1 no Ipiranga, capital. Há também registro de uma criança morta em Embu das Artes, vítima de um desabamento.

A cidade de São Paulo vem registrando alagamentos por toda parte. O reflexo do descuidado com a cidade pode ser visto com os inúmeros pontos intransitáveis, além do fechamento de linhas da CTPM, como a Turquesa. Há também rios transbordando, como é o caso Tamanduateí.

Na madrugada de segunda, entre a meia noite e às seis horas da manhã, os bombeiros registraram pelo menos 601 ocorrências de enchente, além de 34 por quedas de árvores, 54 por desabamentos e 3 por deslizamentos graves.

Os lugares mais afetados são os bairros de Vila Prudente e no Ipiranga, além das cidades do ABC Paulista.

O reflexo da gestão Doria é incalculável número de trabalhadores prejudicados, sem poder transitar pela cidade, perdendo o pouco que conseguem adquirir nas chuvas.
Não diferente é a situação do Rio de Janeiro. Às 5 horas e 50 minutos a cidade entrou em estado de atenção. Bolsões de água foram registrados em diversos pontos. A Zona Oeste é, até então, a mais atingida pelos temporais.