Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit

O capitão do mato, contratado pela burguesia fascista, Fernando Holiday, noticiou no Facebook, que irá processar o PCO por racismo. Tal ataque do vereador nazista é em razão de matéria escrita por um articulista do partido, sobre a absurda aprovação e a ratificação de uma lei por João Doria, que irá condenar flanelinhas a uma multa de R$ 1.500,00, se o mesmo estiver a “coagir” um motorista, ao lavar o vidro do seu carro ou ao estacionar seu veículo em uma região com alto índice de furtos de automóveis.

A aprovação desta lei se reveste das mais profundas matizes nazistas. Um setor que é retrato da mais profunda exclusão social e econômica da sociedade, àquele que já perdeu todas as expectativas na sociedade, não encontra emprego, nem perspectivas do mesmo, no quadro trabalhista que temos no País, àquele que não tem garantia nenhuma de seu sustento, como são exemplos os flanelinhas, que recorrem a um último recurso, que na prática nada mais é que pedir uma esmola em qualquer farol de São Paulo, sejam condenados por tal atitude.

O sentido desta lei é o mesmo. Toda vez que a miséria aumenta, a burguesia começa a fazer pressão para empurrar os miseráveis para longe de seus olhos, se possível, sete palmos abaixo da superfície. Exemplos não faltam na história brasileira, como Carlos Lacerda, no Rio de Janeiro, que dava ordens para a polícia matar e jogar indigentes no rio. Mais recentemente, com o Mussolini de plantão, na prefeitura de São Paulo, que colocou, no inverno paulistano, caminhões com funcionários a esguichar jatos de água sobre a população pobre sem teto .

Para aprovar tal lei nada mais original para a burguesia que contratar um negro (obs: já era, há algum tempo, funcionário muito bem pago, por entidades imperialistas para criar o agrupamento fascista MBL), comprado para se filiar ao DEM (Partido da direita brasileira, representante legítimo da ditadura militar).

Mas seus serviços já demonstram vários ataques contra o povo. Em novembro de 2016, este inimigo das lutas centenárias do povo negro publicou em uma rede social que é “um absurdo” existir uma data como o Dia da Consciência Negra, que “homenageie um homem assassino escravagista.” O dia 20 de novembro foi escolhido como homenagem à morte de Zumbi dos Palmares, líder do Quilombo dos Palmares, assassinado neste dia. Outros ataques ao povo negro brasileiro também vieram dele, boneco de ventríloquo da burguesia nacional, propôs o fim das cotas raciais em concursos públicos municipais em São Paulo, ou como política de inclusão social para entrada nas universidades.

Trabalhou para o que foi contratado, sendo através do MBL, um dos principais apoiadores do impeachment da presidenta Dilma Rousseff. Trabalhou também para contratar elementos fascistas que invadiram escolas ocupadas, para procurar amedrontar estudantes das escolas públicas paulistas. Visitou escolas paulistanas para intimidar os professores, atacando a liberdade de cátedra dos mestres e procurando fazer propaganda do projeto, estilo SS, chamado “Escola sem partido”, combatido em várias regiões do país pelos professores e estudantes. Além de ser fiel defensor da reforma da Previdência e da reforma trabalhista já aprovada que condenam a população brasileira ao aumento da pobreza.

Contra estes elementos nazistas, o PCO vai continuar na linha de frente, chamando os trabalhadores a enfrentar nas ruas os inimigos da classe trabalhadora, dos negros, das mulheres e do movimento estudantil.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas