O Brasil em liquidação: Bolsonaro entrega aeroportos e rodovias

fotoleilao

O governo Bolsonaro está colocando em prática o plano de tornar-se o governo mais entreguista que já passou pelo planalto, com o novo lote de privatizações definido pelo Ministério da Infraestrutura. A lista contém, além de concessões de rodovias e ferrovias, 41 aeroportos e 11 terminais portuários.

Os golpistas não querem só atingir uma marca nunca antes alcançada de entrega do patrimônio nacional pelos governos neoliberais brasileiros, mas também querem ser uma referência mundial, como anunciou o ministro Tarcísio Gomes de Freitas, explicando que será o maior programa de transferência de ativos para a iniciativa privada do mundo.

Para justificar tamanho roubo do patrimônio público, o governo diz que o empreendimento vai atrair mais de R$ 208 bilhões em “compromissos de investimentos”, ao longo dos 30 anos que duram as concessões. Abrindo mão até mesmo de setores estratégicos para o desenvolvimento do país, Bolsonaro quer convencer o povo brasileiro de que está vendendo tudo o que consegue para que seja revertido em investimento na infraestrutura.

Mais uma vez, Bolsonaro vai roubar o que é da população por direito, e esta terá que se agarrar às promessas feitas pelos capitalistas, os mesmo que financiaram a reforma trabalhista, por exemplo, que acabou com direitos do povo em troca de geração de empregos e investimentos que nunca chegaram. O interesse de quem

A política de terra arrasada do imperialismo não vai deixar pedra sobre pedra se o governo golpista de Bolsonaro, ou de qualquer substituto colocado pela burguesia, conseguir se manter até 2022, e o povo será jogado na mais profunda miséria. A esquerda precisa mobilizar-se imediatamente pelo “Fora Bolsonaro”, caso contrário não sobrará país para disputar nas eleições presidenciais, que caminham para ser altamente manipuladas pela direita.