Genocídio palestino
Em meio a pandemia, Israel intensifica os bombardeios e o bloqueio contra a Faixa de Gaza, deixando palestinos sem acesso a rede elétrica, comida e remédios.
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
epaselect epa04337610 Palestinians carying their belongings next to rubble of a destroyed houses in Al-Shejaeiya neighbourhood in the east of Gaza City, 01 August 2014. A 72-hour humanitarian ceasefire between Israel and Palestinian militant groups in the Gaza Strip broke down 01 August less than three-hours after taking effect, with at least 35 Palestinian killed in the south of the enclave.  EPA/MOHAMMED SABER
Faixa de Gaza é um verdadeiro campo de extermínio do povo palestino | Foto: Arquivo DCO

Os bloqueios e ataques israelenses à Faixa de Gaza têm criado no território um verdadeiro campo de extermínio da população palestina, e isso tem se intensificado ainda mais nos últimos anos, principalmente após o último bloqueio imposto por Israel à região após o Hamas ter vencido as eleições palestinas de 2007.

Mesmo com os esforços do Hamas e até mesmo o suposto acordo entre as duas partes para cessarem as agressões, a população palestina ainda sofre com as políticas genocidas vindas de Israel, onde é impedida a chegada até mesmo de suprimentos básicos como comida e remédios

Sobre o acordo com o Hamás, Israel já deixou claro que tudo pode mudar completamente a qualquer momento, pois o acordo depende de “questões de segurança” na Faixa de Gaza, ou seja, não há segurança e estabilidade nenhuma de que os ataques realmente cessem.

Desde o dia 6 de agosto passado os bombardeios de Israel contra a região são praticamente diários, ocorrendo todas as noites, isso em forma de represália após o lançamento de balões incendiários contra Israel. Além dos bombardeios, os israelenses também intensificaram os bloqueios na Faixa de Gaza impedindo que produtos vindos de Kerem Shalom pudessem abastecer os palestinos, e isso se estendeu até mesmo aos combustíveis, fazendo com que a única usina central elétrica da região fechasse, onde a energia elétrica fica restrita a poucas horas do dia. Isso acontece em meio à pandemia da Covid-19 em que o número de casos na região tem aumentado significativamente nos últimos dias.

A região da Faixa de Gaza sofre ainda  um forte bloqueio que impede que os palestinos tenham acesso à itens básicos de sobrevivência, como os alimentos e os remédios, que serviriam para tratar aqueles que são atingidos pelas bombas, ou seja, não é dada nenhuma chance para que os palestinos possam sobreviver diante das ofensivas israelenses. Enquanto o presidente de Israel Reuven Rivlin ia às redes sociais para ler contos para crianças que estavam em suas casas devido à pandemia as crianças palestinas viviam e ainda vivem o pesadelo de serem bombardeadas todas às noites e ainda serem privadas de viverem suas vidas com o mínimo necessário para sobreviver.

O bloqueio contra a Faixa de Gaza e os constantes ataques a bombardeio contra os palestinos deve ser amplamente denunciado, pois se trata de um verdadeiro campo de extermínio e isso tem sua situação ainda mais piorada com a pandemia, onde os palestinos ficam vulneráveis a perderem até mesmo suas casas com os ataques, além de estarem com o acesso extremamente restrito a remédios, comida, materiais de higiene entre tantos outros recursos necessários para se combater a pandemia, como pedir isolamento social e cuidados básicos daqueles que devem lutar todos os dias para que não sejam acertados em suas cabeças por bombas? A sobrevivência dos palestinos na Faixa de Gaza sempre foi algo muito incerto e os ataques a esse povo devem ser combatidos.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas