Siga o DCO nas redes sociais

Nomeações do governo Bolsonaro
Novo presidente da Fundação Palmares é um fascista e racista
O novo chefe da Fundação Palmares considera que falar de racismo é “vitimismo”, também contra o dia nacional da consciência negra e diz que Zumbi dos Palmares é um falso herói.
Untitled-15
Nomeações do governo Bolsonaro
Novo presidente da Fundação Palmares é um fascista e racista
O novo chefe da Fundação Palmares considera que falar de racismo é “vitimismo”, também contra o dia nacional da consciência negra e diz que Zumbi dos Palmares é um falso herói.
“Negro de direita, contrário ao vitimismo, aos direitos dos manos e ao politicamente correto.”
Untitled-15
“Negro de direita, contrário ao vitimismo, aos direitos dos manos e ao politicamente correto.”

O novo chefe da Fundação Palmares considera que falar de racismo é “vitimismo”, é contra o dia nacional da consciência negra e diz que Zumbi dos Palmares é um falso herói.

Na última quarta-feira (27), a Secretaria de Cultura do Governo Federal nomeou Sérgio Nascimento Camargo a chefe da Fundação Palmares, substituindo Vanderlei Lourenço. A nomeação causou polêmica por conta das diversas declarações racistas que Nascimento tem proferido nas redes sociais.

“Negro de direita, contrário ao vitimismo, aos direitos dos manos e ao politicamente correto.” Assim se descreve Sérgio Camargo em seu perfil no Twitter. A repercussão negativa foi tão grande que ele desativou sua conta na rede social.

Camargo publicou ainda “incalculáveis perdas à economia do país” ao homenagear quem ele chamou de um “um falso herói dos negros”, Zumbi dos Palmares.

Esse tipo de nomeação é o que se espera do governo Bolsonaro – todos os cargos estão ocupados por vendidos para atacar diversos setores da população. Como, por exemplo, o presidente da Funai (Fundação Nacional do Índio), Marcelo Augusto Xavier, que também tem se colocado contra demarcação de terras indígenas.

Leia Também  Apoiar os protestos nos EUA é defender o armamento no Brasil

São capitães do mato que são selecionados pelo governo Bolsonaro. Lutar por exoneração de cargos isolados não vai resolver o problema. Como aconteceu com a substituição do ministro da Educação. É trocar 6 por meia dúzia e se colocar na tarefa de ajudar Bolsonaro a escalar o seu governo.

É preciso derrubar o governo golpista de conjunto. Com as palavras de ordem de “Fora Bolsonaro!”, exigir nas ruas que a eleição fraudada de 2018 seja anulado a partir de novas eleições: eleições gerais já!

 



Share via
Copy link