O VAR contra os pequenos
Após o confronto, Jair Ventura se revoltou com a decisão de Heber Roberto Lopes e criticou a tecnologia. ‘Não dá tempo para lamentar. Não pode abaixar a cabeça
var
Técnico expulsando o jogador do Sport após consultar o VAR | Foto: Reprodução
var
Técnico expulsando o jogador do Sport após consultar o VAR | Foto: Reprodução

Valendo pela 30ª rodada do Campeonato Brasileiro, 

 Fluminense e Sport se enfrentaram no estádio Nilton Santos, o famoso Engenhão e o tricolor levou a melhor por 1 x 0. Porém, com um homem a mais em boa parte do jogo, o Fluminense jogou mal, e o Sport que tentou jogar futebol de verdade, se revoltou com o VAR pela expulsão do seu jogador. 

A vitória mantém o Tricolor na sétima colocação do Campeonato Brasileiro, agora com 46 pontos, e aguardando o fim da 30ª rodada para saber a diferença para o G-6. Já o Leão fica nos 32 e pode até voltar ao Z-4 no fim de semana, estando há sete rodadas sem vencer longe da Ilha do Retiro. 

O Flu venceu com um gol feito no segundo tempo pelo atacante Lucca, quando o rival já tinha um jogador a menos. 

Sobre a polêmica com o inimigo do esporte e amigo dos capitalistas, o VAR, como na rodada passada, o Sport fecha mais uma rodada decisiva para sua tragetória, engasgado.

O jogo fraco, de baixa intensidade, era de pouca inspiração e beleza, até que Michel Araújo e Calegari tentavam sair jogando, aos 37 minutos, quando o lateral-direito errou passe. Na disputa que se seguiu, o jovem de Xerém chegou primeiro que Júnior Tavares, saindo de trás de seu outro rival – também ao seu lado -, em velocidade alta e se jogando em carrinho na direção da bola, e, chegando assim, com o pé por baixo do rival que pisou no tornozelo do jogador tricolor. Heber Roberto Lopes esperou e foi ao VAR, comandado por Caio Max Viana (RN), que recomendou a checagem. Após ver as imagens, o árbitro expulsou o lateral-esquerdo do Sport, em decisão polêmica que gerou reclamação.

Após o confronto, Jair Ventura se revoltou com a decisão de Heber Roberto Lopes e criticou a tecnologia. ‘Não dá tempo para lamentar. Não pode abaixar a cabeça. A gente fica triste quando acontece tudo isso, o VAR mais uma vez sendo protagonista do nosso jogo. Como foi no jogo contra o Palmeiras. Mas a gente sabe que vamos contra tudo e contra todos. A gente vai continuar performando bem e vamos tentar trazer essa conexão da performance com o resultado’, afirmou na coletiva.

Antes disso, o juiz já havia escutado o VAR, para mandar seguir um lance de Lucca, derrubado na entrada da área. A falta, não marcada em campo, teria sido fora da área, e portanto, o árbitro de vídeo não poderia corrigir o erro. Aos 48, Danilo Barcelos cruzou na área e Michel Araújo completou para o gol, mas Heber marcou falta de Lucca Claro em Adryelson antes da conclusão do lance, não permitindo a checagem do vídeo.

É preciso aqui, demostrar que o VAR serve para prejudicar os times “menores” e favorecer os “grandes” ou seja, os ricos. O Sport vem sendo regularmente prejudicado, o que mostra que há uma política direcionada para manipular os resultados, e, nos últimos meses, membros das equipes menores, torcedores e organizações esportivas vem denunciando este absurdo. O VAR mais uma vez mostra o seu propósito de ser um instrumento de manipulação de resultado.

Relacionadas
Send this to a friend