Nova ofensiva da direção do BB contra o plano de saúde dos funcionários

banco-do-brasil-1900x1265_c

A direção do Banco do Brasil partiu para cima dos funcionários com ameaças da intervenção da Agência Nacional de Saúde (ANS) no plano de saúde dos trabalhadores, Cassi, caso não seja alterado o estatuto da entidade, na consulta ao corpo funcional, que será realizado entre os dias 24 de setembro e 5 de outubro.

Os prepostos do governo golpista de Michel Temer à frente do Banco do Brasil querem a qualquer custo alterar o estatuto da Caixa de Assistência dos Funcionário do Banco do Brasil (Cassi) com o objetivo de liquidar com o plano de saúde da categoria como passo decisivo para aprofundar a política de privatização do banco.

Dentre as propostas de mudança pretendem: implantar o voto de minerva na diretoria, a favor do banco, criar um outro plano para futuros empregados do banco, reduzir a idade dos dependente dos atuais 24 para 21 anos, cobrar por dependentes, sem custeio do BB para dependentes de aposentados, cobrar por dependentes sem observar percentual sobre salário, acabar com o regime de solidariedade (significa acabar com a cobrança de 3% de todos os seus funcionários, tanto os da ativa como para os aposentados, como forma de custeio do plano, que passaria a ser cobrado mensalidades conforme a faixa etária dos associados, ou seja, passar a ser um plano conforme qualquer outro no mercado), etc.

Para isso o banco, realizou uma eleição completamente fraudada, controlada pela direção do banco, para o Conselho Deliberativo da Cassi, onde foi eleita uma chapa patronal composta por funcionários aposentados, todos, em exceção, exerceram altos cargos de chefias. A prova da fraude é a completa submissão da “nova” diretoria da Cassi à direção do banco, onde a primeira medida da chapa patronal eleita foi de aprovar a consulta de mudança no estatuto da Cassi.

Recentemente o banco soltou um Comunicado ao Mercado, ou seja, aos parasitas capitalistas, feitos abutres de olho no patrimônio do povo brasileiro, que o “Conselho Diretor, aprovou, proposta de reforma estatutária apresentada pelo Conselho Deliberativo da Cassi” (site Banco do Brasil – Divulgação de Informação ao Mercado – 13/9/18).

Agora com a data marcada para a consulta, o banco despeja todos os dias, via boletins internos, uma enxurrada de falsas notícias com as mesmas ladainhas quando aconteceram as mudanças do estatuto 1996 e 2007: a falência da Cassi. Como a categoria não cai no conto da Carochinha, o banco passa a chantagear os funcionários com ameaças de que se a proposta do banco não for aprovada haverá intervenção da ANS no plano de saúde.

A Cassi é um patrimônio construído pelos trabalhadores e é a eles que cabem o seu gerenciamento e controle, hoje os seus administradores são escolhidos pelo banco que detém a prerrogativa de nomear o presidente da entidade, e mais uma vez o banco quer que a categoria pague um suposto rombo que não é de responsabilidade dos associados.

É necessário organizar os trabalhadores do BB a organizar uma verdadeira mobilização pelo controle do plano de saúde. COlocndo