Nota da CUT: pela liberdade de Lula, parar o país dia 13 de julho e 10 de agosto

CUT-1

Da redação – A Central Única dos Trabalhadores (CUT) emitiu acertadamente um comunicado a todas as CUTs Estaduais, convocando a organização de duas mobilizações gerais contra o golpe e pela liberdade de Lula, a primeira no dia 13 de julho no Dia Nacional de Mobilização Contra os Desmandos do TRF4 e do juiz Sérgio Moro e no mês que vem, 10, em paralisação nacional. A nota chama atenção para os pontos que transformaram a atual situação política do país em algo insustentável. Frente a isso, os trabalhadores devem intervir com mobilizações de massa para libertar Lula que é preso político da Operação Lava Jato.

A posição era esperada por todos os trabalhadores que lutam contra o golpe, pois, com os últimos acontecimentos do domingo, todos puderam ver que as leis não servem aos trabalhadores, e assim, a perseguição expressada sobre a prisão política de Lula, não será resolvida institucionalmente. Essa convocação reflete o período atual de lutas que vem aumentando, com os trabalhadores realizando greves setoriais há meses.

Está latente a necessidade de uma mobilização de massas para derrotar os golpistas que estão destruindo o país. Em apoio à CUT, que confirmou presença na Conferência Nacional Aberta de Luta Contra o Golpe através de seu presidente Vagner Freitas, o Partido da Causa Operária convoca todos para o debate junto aos comitês de luta espalhados pelo país, sindicatos, partidos de esquerda e movimentos sociais, para discutir os rumos dessa grande mobilização e um programa comum da classe operária e camponesa.

Veja a nota na íntegra:

“À Direção Executiva, Estaduais da CUT e Ramos

Companheiros/as,

Encaminhamos a nota da CUT Nacional sobre os acontecimentos do dia 08 de julho de 2018.

Por respeito aos direitos – Lula Livre !!!

A CUT, diante das decisões dos juízes do Tribunal Regional Federal da 4ª. Região (TRF4), tomadas neste domingo (8), constata que duas coisas ficaram evidentes:

1) Lula é perseguido implacavelmente pelo juiz Sergio Moro, que mesmo em férias, interferiu de forma indevida e criminosa na decisão de um processo de uma instância superior apenas para manter o ex presidente preso;

2) Rogério Favreto, desembargador de plantão do TRF4, que concedeu habeas corpus a Lula, reconheceu que ele tem o direito de ser candidato, ao considerar que o ex-presidente está sendo prejudicado pela prisão ilegal que o impede de participar do processo de pré candidatura prevista na Lei Eleitoral.

A CUT, que desde o início vem se posicionando firmemente contra a prisão ilegal e arbitrária do ex-presidente Lula, denuncia, mais uma vez aos seus sindicatos, dirigentes, trabalhadores e trabalhadoras, e também a população brasileira, a injustiça e a politização de grande parte do Judiciário, que usa todo tipo de manobras para manter Lula preso.

A postura de parte do Judiciário brasileiro é inaceitável e tem de ser denunciada e repudiada por todos aqueles que defendem a democracia, o estado de direito e uma justiça imparcial.

As manobras espúrias que ocorreram neste domingo no Paraná envolveram também a Polícia Federal, que ao invés de cumprir a decisão Judicial, como é seu dever, foi buscar um parecer do juiz Sérgio Moro que não era o responsável pelo caso, para atrasar a libertação do ex-presidente. Tudo para ganhar tempo para que outros conchavos entre os perseguidores de Lula pudessem produzir uma decisão para mantê-lo preso, que acabou sendo anunciada à noite.

A postura dos procuradores da Lava Jato, do juiz Sérgio Moro, do TRF4 e da Polícia Federal escancaram a perseguição política e a utilização do Judiciário para tentar impedir que Lula possa ser candidato. Ele é o único que pode resgatar o país da crise em que se encontra e restabelecer os direitos dos trabalhadores e trabalhadoras que foram retirados pelos golpistas.

A CUT vai intensificar a campanha Lula Livre, porque Lula já provou que é o único candidato capaz de construir um país com crescimento, desenvolvimento sustentável e justiça social, com distribuição de renda e valorização dos trabalhadores e das trabalhadoras e do povo que constrói esse país.

Conclamamos todas as entidades filiadas, ramos, CUT’s Estaduais, dirigentes e militantes para se engajarem na mobilização do dia 10 de agosto, para que possamos construir paralisações, atos e manifestações que demonstrem nosso inconformismo com a situação do Brasil. Esse engajamento também deve ser estendido para a Campanha Lula Livre, com a criação de comitês nas bases sindicais para que possamos reforçar junto à nossa base o direito de Lula ser candidato.

Continuaremos denunciando a perseguição implacável contra Lula por parte da mídia golpista, aliada aos grandes empresários que financiaram o golpe e a grande parte do Judiciário que, cada vez mais, expõe suas verdadeiras intenções antidemocráticas.

No próximo dia 13 vamos nos somar aos movimentos sociais, partidos políticos e centrais sindicais, nas manifestações do Dia Nacional de Mobilização Contra os Desmandos do TRF4 e do juiz Sérgio Moro.

A CUT vai mobilizar a classe trabalhadora e a população brasileira para realizar no dia 10 de agosto, o dia do BASTA! BASTA de desemprego, BASTA de aumento do gás e dos combustíveis, BASTA de retirada de direitos, BASTA de privatizações, BASTA de perseguição a Lula. Vamos intensificar as mobilizações nos locais de trabalho, nas praças e nas comunidades para exigir nossos direitos e Lula Livre.”