A mãe de todas as bolhas
Os principais jornais da imprensa burguesa, WSJ, CNN, com seus especialistas, não conseguem mais esconder que o capitalismo está para quebrar
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
images (11) (1)
Bolha financeira iminente | Foto: reprodução

Em Wall Street, a semana começou em território negativo, com alarme para os níveis de queda do Dow Jones de mais de 600 pontos, o S&P 500 mais de 60 e o Nasdaq mais de 140 em meio aos sinais de ressurgimento de uma segunda onda de coronavírus.

Alabama, Alasca, Arizona, Arkansas, Califórnia, Flórida, Carolina do Norte, Oklahoma e Carolina do Sul tiveram um número recorde de novos casos e hospitalizações.

Enquanto isso, o consultor comercial da Casa Branca, Peter Navarro, afirmou à CNN que o governo de Trump está mirando um pacote de estímulos com foco na indústria manufatureira norte-americana que será de “pelo menos US$2 trilhões”. Essas medidas visam interromper ações dentro da bolsa que são sinais de crise eminente, tais como as apostas de baixa na moeda e a alta nos investimentos em títulos chineses, superando os americanos.

Larry Kudlow, chefe do Conselho Econômico Nacional, disse que o governo se opôs a estender o bônus de US$600 do governo federal aos pagamentos de desemprego após julho.

E, lembrando que em editorial publicado na última quarta-feira (10), a CNN americana chama a disparada recente da bolsa dos EUA como “a mãe de todas as bolhas”. Segundo o veículo, há sinais de que o FED vinha alimentando falsas esperanças.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas