Farsa do combate à pandemia
Com o ritmo atual de vacinação de São Paulo, seriam necessários 7 anos para vacinar os paulistanos e 32 para vacinar todos os brasileiros, o que mostra que não há vacina no Brasil
Doria
João Doria (PSDB), um verdadeiro criminoso político | Reprodução
Doria
João Doria (PSDB), um verdadeiro criminoso político | Reprodução

O governo do Estado de São Paulo lançou esta semana o “vacinômetro”, um indicador presente na página inicial do seu endereço eletrônico, que mostra quantas pessoas já foram imunizadas. Trata-se de mais uma etapa da campanha do tucano João Doria (PSDB) para se promover como um governante “científico”, “o homem da vacina” no Brasil. No entanto, a campanha esconde uma realidade que os números revelam: no ritmo da vacinação em São Paulo, os brasileiros levarão 32 anos para serem vacinados!

Segundo o próprio Governo de São Paulo, no último domingo (17), o Instituto Butantan distribuiu 6 milhões de doses da vacina, que é desenvolvida em parceria com a farmacêutica Sinovac Life Science, da China. Além disso, com a segunda remessa, são 6,9 milhões de um total de 8,7 milhões de doses, estabelecidas em cronograma firmado com o Ministério da Saúde. Este lote é para entrega até o dia 31 de janeiro e até abril, quando o Butantan distribuirá 46 milhões de vacinas contra o coronavírus para todo o país.

Colocado desta forma, o dado, indicaria que até meados de abril 1/4 da população brasileira teria vacina. No entanto, não é bem assim.

O governo de São Paulo, durante a tarde desta segunda (25), registrava no “vacinômetro” 148.686 (cento e quarenta e oito mil, seiscentas e oitenta e seis mil pessoas). Considerando que a campanha de vacinação começou no último domingo 17 de janeiro, até o dia 25 foram 8 dias de vacinação. Dividido o número de pessoas vacinadas pelo número de dias, tem-se uma média de 18.393 pessoas vacinadas por dia.

Relacionando-a com o número de habitantes, de acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), em 2020, 46.289.333 no estado de São Paulo e 211.755.692 no Brasil. Ao dividir o número de habitantes de São Paulo, por exemplo, pela média diária de vacinação (18.393), chega-se ao número de 2.517 dias, 7 anos! Este seria o tempo necessário para vacinar todos os paulistanos.

Neste ritmo, para vacinar todos os brasileiros, seriam necessários 11.513 dias! Trinta e dois (32) anos!

O dado, em si, já revela que não existe uma campanha de vacinação no Brasil. Pelo contrário, as vacinas foram importadas, o País não tem insumos para a produção em massa. E ainda pior, há o risco das pessoas que foram vacinadas ficarem sem a segunda dose da vacina, o que prejudicaria o efeito já muito questionável da CoronaVac, a vacina de Doria (PSDB), que tem apenas 50% de eficácia.

Ou seja, Doria é “científico” apenas na propaganda. Na prática ele é o governador que manteve a aglomeração nos transporte público a todo o vapor, manteve as fábricas funcionando, aumentou a repressão contra a população, criando ainda mais multas e perseguições. É também o governador que quer reabrir as escolas num momento de piora do quadro da pandemia. Ou seja, a sua promoção como governador “científico” é uma das únicas formas de ocultar todos os seus crimes contra o povo e fato de ser um dos maiores genocidas do País, junto com Bolsonaro!

A vacina, diferente do que está sendo propagado, não é uma panaceia. A imprensa burguesa está vendendo a ideia de que agora que tem vacina “está tudo resolvido”, pode voltar às aulas, pode se aglomerar no transporte coletivo, etc, etc. No entanto, até que a vacina chegue à toda a população, outras medidas em relação ao coronavírus continuarão sendo necessárias, seja em questões diretas de saúde, como o caso do oxigênio em Manaus, seja questões relacionadas indiretamente, como o fim do auxílio emergencial e o desemprego astronômico.

Logo, é uma comprovação de que neste momento há uma campanha de propaganda política para promover determinados elementos da direita golpista, como o governador João Doria (PSDB), para ocultar a sua política genocida, que levou a morte de mais de 51 mil pessoas e, ao invés disso, propagá-lo como o grande responsável pela vacinação da população.

Por isso, enquanto faz a propaganda de que salva vidas, Doria vai continuar matando muita gente a cada dia que passa, devido à omissão total do seu governo e de outros, no combate à pandemia, o que está custando a vida de mil pessoas por dia no País. Se depender deste ritmo, não vai ter combate nenhum à pandemia e vacina para todos só será em 2053.

Relacionadas
Send this to a friend