No mundo fantástico da imprensa burguesa, é Putin que interfere nos EUA, e não os EUA no resto do mundo

donald-trump-putin-meeting-gq

Da redação – Numa entrevista coletiva concedida na segunda com Vladimir Putin, Trump desmentiu as conclusões de todos os serviços de inteligência americanos (e ocidentais) sobre a tentativa do governo russo de manipular as eleições de 2016. Em reação, de rara violência, o presidente americano foi duramente acusado de traição, capitulação e submissão pela televisão e nas redes sociais.

A “tese” dos democratas, apoiada pela imprensa conservadora a serviço do imperialismo como New York Times, Fox News etc, é de que é Putin quem “manda” nos EUA, a ponto de ter interferido decisivamente no pleito presidencial da maior potência mundial.

Segundo essa argumentação, um tanto estapafúrdia, Trump seria um traidor da pátria, que teria negócios envolvendo a máfia russa. Contudo, até agora, nenhum dos fatos comprovados sobre a intervenção russa implica Trump diretamente.

A imprensa (colonizada) brasileira, por sua vez, não fez e não faz mais do que reverberar a campanha imperialista contra o presidente milhardário, sobre o qual hoje ronda a ameaça de impeachment.