Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit

No estado do Mato Grosso do Sul, os golpistas e latifundiários encontraram uma nova forma de atacar o movimento indígena, que luta pela demarcação de suas terras, e focando as mulheres indígenas.

Sob o pretexto de retirar as crianças de condições inadequadas para seu crescimento e desenvolvimento, o conselho tutelar e outros órgãos de assistência social estão passando por cima das famílias indígenas e retirando as crianças de suas mães indígenas, inclusive com proibição de visitas das mães e adoção para pessoas não-indígenas.

Os dados apresentados pela Fundação Nacional do Índio (Funai) apresenta que 60% das crianças que estão nessas instituições são indígenas, sendo 65 crianças retirada de suas mães na região de Dourados, onde 20 são crianças de até cinco anos de idade, oito foram retirados de suas mães com menos de 1 ano e três retirados ao nascer.

Esse crime cometido pelos golpistas, com utilização do Conselho Tutelar e participação direta do judiciário golpista, que comete as maiores arbitrariedades jurídicas para justificar a retirada das crianças de suas mães e famílias. Isso ocorrer se nenhuma aprovação ou consulta das entidades e organizações indígenas.

Essa política não deve ser vista como de apoio e de ajudar as crianças indígenas, justamente por um estado apoiado por latifundiários que cometem as maiores atrocidades contra os povos indígenas. Se fosse para resolver o problema que viabilizasse a melhoria das condições de vida dos indígenas, através das demarcações e outras políticas sociais, e não de roubar as crianças de suas famílias.

É uma maneira de desestabilizar as famílias e as mulheres da comunidade indígena que lutam pela demarcação de suas terras, através da política de terror e ameaças de perder seus filhos e de acabar por meio da força os costumes indígenas como tradições e língua materna, ou seja, sua identidade.

Os latifundiários e a direita golpista do Mato Grosso do Sul estão realizando uma enorme ofensiva contra os indígenas em várias frentes de atuação e maneiras de atacar, são assassinatos, reintegração de posse de terras retomadas pelos indígenas, atropelamentos, prisões e, nesse momento estão utilizando da fragilidade e das condições de pobreza das famílias para retirar as crianças de suas mães.Golpistas utilizam conselho tutelar para atacar indígenas no Mato Grosso do Sul.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas