No “democrático” EUA, governo continua campanha de censura à imprensa russa

nhi

Da redação – A Secretaria de Segurança Interna do Governo dos Estados Unidos emitiu um comunicado nessa terça-feira (02) exigindo que a população norte-americana não leia ou assista a imprensa russa em inglês.

“Encorajo a todos, se vocês estão lendo alguma coisa […] e de repente passam para a RT ou a Sputnik, que estejam cientes. Quero dizer que esses são canais de notícias patrocinados pelo governo. Não são independentes”, disse a secretária da pasta, Kirstjen Nielsen.

Nos Estados Unidos, desde as eleições presidenciais de 2016 em que Donald Trump foi eleito (contra a vontade do imperialismo), há uma campanha feroz de acusações contra o governo russo, de todos os tipos, sobre alegada interferência no pleito, a fim de socavar o regime político norte-americano.

Uma das diversas acusações recai sobre a RT e a agência Sputnik, considerados pelo imperialismo, de maneira cínica, como instrumentos de propaganda controlados pelo presidente russo, Vladimir Putin.

Há mais de um ano esses veículos têm sido censurados por diferentes meios, desde a imposição de barreiras burocráticas para o trabalho de seus jornalistas até a censura crua e fria de suas contas em redes sociais.

Os Estados Unidos são considerados uma democracia vibrante há pelo menos um século, mas fatos como este demonstram que isso não passa de pura propaganda enganosa. E, dentre os meios pelos quais essa propaganda enganosa sempre foi disseminada pelo mundo, está a própria imprensa norte-americana.