No Carnaval, a reação popular contra Bolsonaro

É possível facilmente interpretar que a população quer o fora Bolsonaro. A primeira conclusão é que a maior parte da esquerda, que apostava no desenvolvimento do regime estável, falhou em não perceber que o governo foi eleito por uma fraude, e como resultado disso ele tinha que ser um governo com uma base precária.

Vale comparar com o governo Macron, na França, e com o Collor, eleitos com uma série de artifícios para dar uma aparência de autoridade ao governo. Tentam criar uma situação de sustentação do governo com medidas econômicas e tentam disfarçar a falta de apoio do governo.

A base social de Bolsonaro é pequena. Os milhões de votos revelam que uma parte votou nele porque é curral eleitoral, quer dizer, vota em qualquer pessoa. Outras pessoas votam na última hora pressionadas pela imprensa, mas isso não revela nenhum apoio, é um voto sem nenhuma convicção. Isso é da natureza do regime político.

O governo bolsonaro tem uma base social muito pequena. O que aconteceu no Carnaval mostra a rápida deteriorização do governo. Várias pesquisas já haviam mostrado que bolsonaro tinha apenas 39% de aprovação. Com o lançamento do programa de arrocho, rapidamente o governo se deteriorou, da mesma forma que aconteceu com Michel Temer. Bolsonaro tem o mesmo programa do governo Temer, só que ainda mais agressivo.

O governo precisaria se apoiar em uma base social sólida, que não sofresse deterioração diante da aplicação desses projetos. a base social real de Bolsonaro é muito pequena. Das pessoas que votaram em Bolsonaro, quem apoiaria todas as reformas pretendidas pelo governo golpista? Esse fato se refletiu no Carnaval.

A direita odeia o carnaval, e agora todo mundo já entendeu a razão, diante dos últimos acontecimentos. A primeira lei de toda manifestação popular é a seguinte: quando se reúne uma massa de pessoas, essa massa adquire uma vida independente. A pessoa isolada é confusa, pressionada, etc. Mas a hora que saem 40 mil pessoas na ruas a confusão desaparece, por isso que a direita não gosta da manifestação.

O Carnaval revelou uma realidade extremamente crítica e explosiva para o Brasil neste momento. O governo está apoiado em quase nada e precisa colocar em prática ataques à população, uma contradição explosiva.

Mais do que tudo, no Carnaval ficou demonstrado que o povo quer o fora Bolsonaro e está disposto a levar adiante esta luta, e não se adaptar ao regime dos golpistas.