Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Nildo Ouriques
|

Nildo Ouriques, professor de Economia da UFSC (Universidade Federal de Santa Catarina) e integrante da direção nacional do PSOL, foi entrevistado no programa de rádio Faixa Livre. Segundo ele: “A estratégia de frente única, de lamber as feridas, não nos leva a lugar nenhum.”

Mas para Ouriques a “frente única” não é a aliança com partidos golpistas, mas com o próprio PT. Portanto, a esquerda não pode ter qualquer flerte com a esquerda petista, que representa um fracasso histórico, econômico, político e ético, segundo ele.

Para o dirigente do PSOL, a palavra de ordem correta é chamar à “revolução brasileira”.Mas, como não quer aliança contra o golpe com o PT, e portanto não quer influenciar a base petista, Ouriques despreza a maior parte dos trabalhadores organizados no país (que estão na base do PT na CUT, no MST, etc) devido ao “fracasso ético”. Ouriques quer uma revolução sem o povo.

Mas o pior é que seu argumento é baseado no “fracasso ético” do PT. O partido seria um partido corrupto, assim como afirma a burguesia.

Ao dizer que a frente única não nos levará a lugar algum, Ouriques defende o fracasso histórico da esquerda diante do crescimento da extrema direita e a chegada do fascismo no poder. Trotski bem analisou a chegada do fascismo ao poder nos países onde a esquerda adotou a política ultra-esquerdista, da tese do social-fascismo (Itália, Alemanha) – política da 3ª Internacional, já controlada pela burocracia stalinista, que negava a aliança com as bases dos partidos social-democratas, acusando esses partidos de serem iguais aos fascistas – bem como analisou a derrota do fascismo nos países em que a esquerda adotou a política de frente única, agregando uma grande massa de operários, fossem eles organizados pela social-democracia ou não, na luta contra a extrema direita (caso da França e da Inglaterra).

Ouriques quer repetir o fracasso. Não se unir com a esquerda contra os fascistas. Isto é, enfraquecer a luta contra os golpistas. Uma política totalmente sectária que procura isolar o movimento em nome de uma luta moral.

Ouriques também se colocou contra novas eleições e contra a libertação de Lula, validando a fraude que colocou Bolsonaro no poder e a ditadura dos golpistas.

“Essa bandeira da anulação das eleições nos desmoraliza no seguinte sentido: é o fracasso petista. O petismo dizia ‘eleição sem Lula é fraude’. Depois vai para a eleição. E a Gleisi Hoffman vai lá com aquela carinha cândida dela dizer que se elegeram a despeito de tudo e que agora estão nessa campanha Lula livre que é um fracasso histórico. Temos que sair dessa agenda, a agenda tem que ser outra, é a agenda da revolução brasileira.”

Ou seja, Bolsonaro estaria no poder por conta do “fracasso petista” e não por conta de uma fraude completa, que tirou o principal candidato das eleições, reprimiu manifestações e militantes de esquerda e censurou a campanha da esquerda.

Para derrotar a direita, a esquerda não deveria exigir a liberdade de Lula, mas lutar pela “revolução brasileira”. Porém, Ouriques esquece que entre a revolução e o atual momento existe um grande caminho para percorrer, e ignora que a luta pela liberdade de Lula, como luta que se opõe à política da burguesia e do imperialismo, é uma luta que mobiliza os trabalhadores, e portanto, faz crescer sua consciência rumo à revolução.

A luta pela liberdade de Lula, com os absurdos do STF, tem gerado uma desilusão do povo em relação ao judiciário e às instituições golpistas. Portanto, falar em revolução sem lutar pela liberdade de Lula, nem faz sentido, pois não se estimula a polarização, que pode separar o povo da política da direita, que é um processo progressivo até a revolução.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas