“Modernização” do Futebol
Punição a jogador brasileiro é sintoma da política dos capitalistas de coibirem o estilo típico da América do Sul
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
neymar leva amarelo por dar lambreta
Neymar leva amarelo após dar lambreta em adversário que o agrediu durante o jogo: reprodução twitter |

Em partida válida pelo Campeonato Francês, neste sábado (1º), o PSG entrou em campo contra a equipe do Montepellier. Apesar do resultado elástico do PSG sobre seu adversário (5×0), um fato bastante desagradável e incomum chamou a atenção: o cartão amarelo aplicado a Neymar.

Na ocasião, imediatamente após driblar um adversário com uma lambreta (ou carretilha), o craque brasileiro foi advertido pelo árbitro, como se tivesse cometido alguma infração. No que o brasileiro começou a discutir, afinal é direito do jogador driblar toda vez que achar cabível. A situação foi tão desnecessária que até mesmo o jogador do Montpellier e desafeto pessoal de Neymar, Andy Delort, manifestou-se alegando não achar normal advertir e punir o brasileiro em razão de um drible.

Atualmente Neymar atravessa uma ótima fase, talvez a melhor desde que chegou ao PSG, de modo que nas últimas 11 partidas ele sempre fez um gol ou ao menos fez uma assistência a um gol.

Neymar é representante do futebol sul americano, que a despeito de toda a má vontade da imprensa imperialista e seus teleguiados locais, consagra-se como um dos maiores jogadores do seu tempo. O fato de driblar bastante, o que deveria ser enxergado como uma qualidade, é encarado como um sinal de indisciplina. O drible sempre foi uma característica bem própria do futebol sul americano. Garrincha, Maradona, Ronaldinho Gaúcho e tantos outros sempre desnortearam europeus pela habilidade com a bola nos pés, embora o oposto não tenha sido tão comum.

Alguém já viu um jogador ser punido pelos árbitros por recuar a bola em excesso? Muitas vezes a imprensa esportiva brasileira age como escrava moral do imperialismo, argumentando que o drible nem sempre tem finalidade ao gol. Ora, se um jogador realmente não busca o gol, quem deve adverti-lo é tão somente o técnico, que pode orientar ou até fazer uma substituição nesse sentido. Do contrário, os marcadores que lutem para tomar a bola e o árbitro que puna se houver faltas contra a integridade do jogador habilidoso. Certamente as escolas de arbitragem sistematicamente orientam a repressão ao futebol da América do Sul.

O episódio do cartão amarelo de Neymar é um ataque contra o futebol sul-americano, especialmente o brasileiro (melhor futebol do mundo) e dá uma boa noção de como funciona a campanha contra os jogadores. É a política dos capitalistas da bola, muito direcionada a Neymar no último período, para exercerem um maior controle sobre os rumos futebol, beneficiando seleções, clubes e jogadores de países imperialistas e boicotando jogadores de países atrasados.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas