Neste domingo, no MASP: todos ao ato contra a celebração do golpe militar de 1964!

Estudante pichando fachada de prédio com os dizeres "Abaixo a Ditadura".

O presidente golpista e ilegítimo, Jair Bolsonaro, determinou na última segunda-feira, dia 25, que o Ministério da Defesa deve celebrar o golpe militar de 1964, que no próximo dia 31 de março completa-se 25 anos. A determinação de Bolsonaro é mais uma demonstração do caráter fascista do presidente e de todo o governo golpista. Bolsonaro, que já havia declarado que a ditadura militar “matou pouco”, fez elogios aos ditadores latino-americanos, como o chileno Augusto Pinochte e o paraguaio Alfredo Strossner, agora novamente tece uma “homenagem” aos militares assassinos de 1964.

A declaração de Bolsonaro tem de ser vista também como uma ameaça a todo povo brasileiro. Diante do crescente repúdio popular ao seu governo e da crescente crise política, o golpista da extrema-direita vem à público ameaçar a população com um novo golpe militar, uma nova ditadura que irá impor um regime de terror muito mais violento do que o de 1964.

Nesse sentido, a resposta das organizações de esquerda e dos movimentos populares tem de ser imediata. É necessário sair às ruas contra a ameaça de golpe militar de Bolsonaro, levantar também a luta contra o governo golpista e o regime político de conjunto, por meio da palavra de ordem de Fora Bolsonaro e todos os golpistas! É necessário exigir a liberdade de todos os presos políticos do atual estado de exceção que toma conta do país, em destaque do ex-presidente Lula, principal liderança popular brasileira.

No próximo dia 31 de março, o Partido da Causa Operária, juntamente com os Comitês de Luta Contra o Golpe está chamando um ato contra o golpe militar e contra Bolsonaro no MASP em São Paulo, a partir das 14 horas. É necessário que toda a militância, os ativistas e a população em geral participe e ajude a impulsionar o movimento de luta contra Bolsonaro e todos os militares golpistas.