Nesse final de semana, o PCO elege delegados para participar de seu X Congresso

Nesse próximo final de semana o PCO realizará, em todo o País, reuniões partidárias que escolherão os delegados do Partido ao seu X Congresso, que ocorrerá entre os dias 15 e 18 de novembro, em São Paulo. São esperados centenas de militantes entre delegados, observadores e convidados.

O PCO adquiriu nos últimos anos uma enorme relevância política nacional em decorrência do acerto de suas caracterizações políticas e da luta política que levou adiante, tornando o PCO, reconhecido como o Partido da luta contra o golpe. Desde 2013/2014 o Partido denunciou o desenvolvimento de um golpe de Estado no país, situação que adquiriu nítido contorno a partir de 2015 e que consumou o seu primeiro ato com o impeachment fraudulento da presidenta Dilma.

Sempre com participação ativa na luta contra a direita, o Partido, em uma segunda etapa do golpe, apontou que o próximo passo dos golpistas seria o de condenar e prender o ex-presidente Lula e excluí-lo das eleições de 2018. Prognósticos que foram novamente confirmados pela realidade.

Durante todo esse período, o Partido se notabilizou pela luta política travada em torno da defesa das suas posições aliada a uma intervenção prática na luta de classes, sendo a organização que assumiu a dianteira na luta contra o impeachment, pela sua anulação, contra a prisão de Lula e por sua liberdade.

Em todos os momentos cruciais da luta contra o golpe, o PCO chamou à mobilização independente dos trabalhadores. Denunciamos a ampla unidade de todos os setores da burguesia brasileira com o imperialismo, o verdadeiro “cabeça do golpe”, e a comunhão de inúmeras instituições nacionais com os golpistas. Em contrapartida à unidade deles, o Partido defendeu a unidade dos trabalhadores, dos sindicatos, dos partidos de esquerda que realmente defendiam a luta conta o golpe, enfim, uma grande mobilização nacional dos explorados como única maneira de colocar abaixo o golpe e suas instituições.

Em todas essas etapas, o PCO travou uma luta política sistemática contra as posições centristas e capituladoras da esquerda diante do golpe. Posições como a crença nas instituições que faziam parte do golpe seriam capazes de barrar a evolução do golpe, como o Congresso com relação ao impeachment e o Judiciário com relação à condenação e prisão de Lula e o seu posterior banimento das eleições.

Com maior intensidade ainda, o PCO combateu a esquerda pequeno burguesa e burguesa (de dentro e de fora do PT) que, independentemente do discurso, têm em comum o fato de buscarem virar a página do golpe e se adequarem ao novo regime político estabelecido com o golpe.

É justamente a nova etapa política que se abre com a eleição fraudada do candidato da extrema-direita, que o Partido debaterá em seu Congresso, bem como as tarefas que estão colocadas para o próximo período como a continuidade da luta contra o próprio golpe, expressas nessa etapa no avanço dos militares sobre todas as instituições do regime, o combate ao avanço dos movimentos fascistas em decorrência do próprio avanço do golpe. A luta contra o governo eleito pela fraude e a luta pela liberdade de Lula e de todos os presos políticos.

Nesse sentido, o X Congresso será uma linha de continuidade de todas as discussões e ações que o Partido já vem fazendo. Desde o final de 2017, quando realizou o seu IX Congresso até esse que agora está prestes a ser instalado, foram realizadas quatro conferências nacionais com a participação ampla de delegados e observadores de todo o País, que nortearam – democraticamente – toda a intervenção partidária.

O debate democrático é para o PCO a ferramenta fundamental que faz com que o partido aja de maneira homogênea, como ocorreu nessas últimas eleições. Foram lançadas candidaturas a cargos majoritários em 13 estados e em outros 4 a proporcionais e o que se viu de norte a sul do País foi o reconhecimento de milhares de trabalhadores e jovens do caráter revolucionário da atividade do Partido.

Nesse Congresso estará em debate também  como fazer crescer ainda mais a imprensa partidária. Isso em um quadro de significativa evolução, quando já são centenas de milhares de pessoas que acompanham os órgãos do PCO, impressos e nas redes sociais, que vêm se consolidando como um dos principais instrumentos de luta dos explorados e de propaganda socialista e revolucionária em nosso País.

Finalmente, caberá ainda ao Congresso estabelecer os métodos políticos para consolidar o rápido crescimento partidário. Em todas as grandes cidades do país o PCO já tem núcleos de apoio. A tarefa consistirá em integrar esses novos militantes às atividades partidárias e integrá-los organizativamente ao Partido.

Mão à obra! Viva o X Congresso Nacional do Partido da Causa Operária.