Nenhuma fé nas instituições golpistas: Toffoli nega novo recurso de Lula

toffoli3

Da redação – O presidente golpista do Superior Tribunal Federal (STF), Dias Toffoli, tutelado pelos generais, também golpistas, decidiram nesta quarta-feira (3), contra o novo recurso de entrevista ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

Para os “deuses de toga”, pois não é uma questão apenas de Dias Toffoli, deve-se cumprir “em toda a sua extensão” a decisão liminar do vice-presidente do STF, Luiz Fux, que impediu na última sexta-feira (28) a entrevista em período eleitoral. É uma grande operação para calar, sumir com a imagem, levada à cabo não só pelo STF mas pelo TSE e TREs regionais que roubaram materiais do PT de diversas sedes pelo país.

Porém, a decisão óbvia, se compreendermos que o petista é um preso político exatamente desses capachos do imperialismo norte-americano que usurparam o poder de Dilma Rousseff (PT), e, é claro, que esses não irão deixar que Lula fale ao povo para aumentar ainda mais a crise do atual regime que está caindo aos pedaços.

Existem muitas possibilidades de pedidos sobre a execução da pena, que, inclusive, os advogados de Lula tentaram usar diversas vezes.  Por exemplo: indulto, passar um feriado prolongado em liberdade, transferência de presídio e até mesmo a prisão domiciliar por caráter humanitário.

Outra informação importante correndo pela imprensa burguesa com a finalidade de enganar os trabalhadores mais uma vez, é sobre o fato de que, talvez, o ministro Ricardo Lewandowski, que autorizou as entrevistas, seja o relator de todos os pedidos relacionados à execução da pena do petista que cheguem ao STF a partir de agora.

E o porquê de acentuarmos tal fato, se encontra na experiência que mostrou: as instituições golpistas articularam manobras infinitas vezes para criar expectativas de vitórias da defesa de Lula, em momentos decisivos da luta política, mas que, finalmente, acabam frustradas. Neste caso, as matérias da burguesia dizem que os processos irão ter como relator o ministro que defendeu Lula, porém, deixam para o final, que todos sempre são vetados pelo presidente e seu vice, ambos golpistas à serviço dos militares.